As startups que atendem ao público final, conhecidas como B2C, muitas vezes tem um reconhecimento expressivo por fazerem parte da vida dos consumidores de forma mais direta. Mesmo assim elas são exceção no Brasil, segundo a Abstartups (Associação Brasileira das Startups), elas representam apenas 10% do total em atividade.

A Luma é uma dessas startups. O negócio de aulas individualizadas para crianças e jovens nas capitais Vitória(ES), Belo Horizonte(MG), Curitiba(PR) e mais cinco cidades brasileiras anunciou hoje um investimento seed de R$ 2 milhões.

“Utilizaremos os recursos para acelerar a expansão por meio do aumento do número de alunos e locais presentes. Nossa meta é estar em 15 cidades em 2020, além de fortalecermos a área de TI da empresa. Ampliar a senioridade do time com pessoas que passaram por startups em alto crescimento também está nos nossos planos”, afirma Murilo Carvalho, CEO da Luma.

O aporte foi liderado pelo fundo Apex Partners que trouxe consigo investidores-anjo e nomes estratégicos do mercado de educação para perto da empresa. Segundo Pedro Chieppe, sócio da Apex, o setor tem se expandindo muito nos últimos anos e naturalmente demanda investimentos para que os projetos mais sólidos, como a proposta trazida pela Luma, cresçam ainda mais.

A Luma está posicionada em um dos setores mais aquecidos do momento e com um propósito super nobre: ajudar pais e instituições no ensino de jovens com uma metodologia personalizável, essencial quando falamos de mudança de paradigmas na educação. Enxergamos esse propósito na startup além de um time com grande capacidade de execução e o alto potencial de escalabilidade através da tecnologia que esse investimento permitirá”, comenta Pedro.

A startup foi fundada há 3 anos em Vitória, capital capixaba. O serviço, no formato de marketplace conecta pais e professores particulares com uso de muita tecnologia e um trabalho de grande análise da equipe de consultores para encontrar e recomendar o educador que melhor se adequa à necessidade do aluno.

Por conta do impulsionamento proporcionado pelo aporte, em breve deve ser implementado um formato de tutoria digital e novos módulos para o próprio mercado de educação: o ensino de habilidades sócio-emocionais, educação financeira e pensamento computacional, também seguindo a metodologia voltada ao ensino individualizado.