Segundo a ONU, no Brasil 83% dos profissionais de programação são homens e 17% são mulheres. De acordo com a Revelo, plataforma de recrutamento digital, essa distinção entre os gêneros também é sentida nos salários: a diferença entre a média oferecida para homens em comparação às mulheres é de 15,24%. Com objetivo de aumentar o número de programadoras no mercado, a fintech Neon, em parceria com o hub de educação Digital House, criou a Academia Neon, um programa de bolsas de estudo exclusivo para mulheres.

Na primeira edição do programa, são oferecidas 40 bolsas de 85% para formar as alunas no curso de DevOps, idealizado especialmente para essa parceria. As inscrições têm início no dia 4 de novembro e vão até o dia 1° de dezembro.

A seleção da Academia Neon funcionará em duas etapas: a primeira consiste em curso introdutório para nivelamento técnico e, em seguida, será feita uma entrevista, presencial, com profissionais da fintech e da Digital House. As aprovadas farão o curso entre fevereiro e abril de 2020 e as aulas serão três vezes por semana, à noite, na sede da Digital House.

“Esse curso foi pensado para ajudar a resolver dois problemas que a gente tem encontrado no mercado profissional. O primeiro é a dificuldade de encontrar mão de obra qualificada. Já o segundo é falta de diversidade nesse segmento. Internamente, um dos nossos objetivos é incentivar a equidade de gênero no nosso time”, explica Ana Silveira, Gerente de Desenvolvimento Organizacional da Neon. Hoje, a fintech tem cerca de 100 vagas abertas em várias áreas, mas a maior demanda é por analistas de desenvolvimento e operações.

Com conteúdo voltado para quem está pensando em iniciar uma carreira digital, o DevOps é um conceito novo no mercado que surgiu para encurtar a distância entre as áreas de Desenvolvimento de Sistemas e a de Operações. Os objetivos dessas áreas eram distintos e a nova cultura propõe a junção das duas para otimizar e aperfeiçoar os resultados.