Jacco VanderKooij, fundador da Winning By Design, foi o keynote speaker do segundo dia do RD Summit 2019, principal evento para marketing digital e vendas da América Latina. Para um público de 12 mil pessoas, o holandês falou sobre o que, de fato, faz com que os clientes de uma empresa sejam bem-sucedidos: a experiência.

“Em 2018, na minha empresa, decidimos parar todas as vendas para, em vez disso, ajudarmos nossos clientes a terem mais sucesso. Não trabalhando mais duro, mas de forma mais inteligente. As pessoas acham que mais negócios fechados as fazem ter sucesso, mas não é isso. Existe um esforço excessivo em fecharmos cada vez mais negócios, mas o que nós precisamos fazer nossos clientes sejam cada vez melhores”, diz.

Para ele, o segredo está na satisfação do colaborador com a companhia em que trabalha. A conta é simples: quanto melhor a experiência do colaborador com a empresa em que está, melhor os clientes serão atendidos e, consequentemente, resultados cada vez mais positivos serão obtidos.

A experiência

Jacco acredita que empresas de sucesso são focadas em experiência, mas muitas delas não o fazem da maneira correta e, em vez de oferecer uma experiência, a mesma é “comprada”. “Há muitos escritórios divertidos com mesa de pingue-pongue, sinuca, cerveja grátis… Quem não seria feliz ali? Mas se você olhar para o espaço de trabalho, vê que o tempo de casa dos colaboradores está cada vez menor”, afirma.

Muito mais do que este tipo de diversão, as empresas precisam aprender que o tempo, tanto do colaborador quanto do cliente, é o bem mais limitado e caro que se pode ter. É preciso oferecer, durante este tempo, uma experiência marcante e que faça sentido para as pessoas. “Ninguém pede uma mesa de pingue-pongue na entrevista de trabalho. É a experiência que conta o nosso tempo”, diz. “Na próxima década, quem oferecer as melhores experiências terá os melhores profissionais do mercado.”

O que a define

Impacto

Antes, os funcionários queriam combinar aquilo que eles sabem que são bons no que fazem com serem pagos para fazerem. Agora, isso não é mais o suficiente. É importante que a pessoa saiba que a empresa para a qual trabalha tem um impacto positivo para a sociedade. “É importante que as empresas deixem este impacto claro para que, entre outros motivos, os colaboradores se reconheçam no propósito da empresa de mudar o mundo.”

Empoderamento

O executivo que comanda um time não deve mais ser o responsável por tomar uma decisão, mas sim, ser a pessoa que garante que todas as decisões tomadas sejam executadas da melhor forma possível. O poder de decisão de uma empresa deve ser horizontal, o formato hierárquico comum já não faz mais sentido nas organizações hoje.

Decisões tomadas em consenso criam um novo tipo de líder: os que falham, que são humanos. “E as pessoas tendem a confiar mais em pessoas assim. Cada pessoa tem uma habilidade única em que se torna líder, isso não tem nada a ver com hierarquia.”

Flexibilidade

O cronograma normal de trabalho não funciona para todo mundo, isso é um fato. “Por que não mudamos as janelas de trabalho para outros horários? Por que temos que obedecer o tradicional? Há pessoas que são mais produtivas em diferentes horários, há pessoas que levariam menos tempo para ir e voltar do trabalho caso tivesse uma agenda flexível. Não é só sobre horários flexíveis, entretanto, é sobre onde e como é mais viável para o colaborador. As novas gerações exigem esta possibilidade.”

Crescimento

Crescimento tem a ver com investimento em pessoas. “É comum que, no início, as pessoas estejam entusiasmadas e cresçam profissionalmente a medida em que a empresa cresce. Entretanto, chega um momento em que elas ficam estagnadas enquanto a empresa cresce”, diz. Jacco afirma que as melhores empresas não investem apenas quando o funcionário chega, mas durante sua jornada na empresa. Este investimento retorna em conhecimento para a companhia. “Temos que ter programas para trabalhar habilidades, com processos, mentorias e treinamentos. Invista em pessoas, treine conhecimentos e habilidades.”

Comunidade

O que nos faz uma comunidade? O que transforma as pessoas muito mais do que colegas de trabalho, mas um time? “Há uma diferença entre comer juntos e dividir comida. Hoje, não nos sentamos mais juntos para comer, mas dividimos nossas refeições com as pessoas. Isso significa comunidade. É a diferença entre ajudar o próximo e ajudar o próximo a ser bem sucedido. Esse sentimento torna a companhia imbatível, independente dos resultados, porque cria um elo.”

Para mais detalhes sobre o evento, acesse aqui.