Cinco startups israelenses iniciaram esta semana a segunda etapa de imersão no Brasil para implementação de seus negócios. Trata-se da quarta fase do programa ScaleUp inBrazil, uma parceria da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP), da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), e do Israel Trade & Investment, para acelerar o ingresso de empresas de tecnologia de Israel no País.

Todas as startups participantes do ScaleUp inBrazil já estão envolvidas em negociações comerciais com clientes brasileiros. Juntas, já realizaram mais de 70 reuniões para desenvolvimento de seus negócios no País. Como resultado desse contato, Cybereason, See Tree, SuperUp, SysAid e Intervyo trazem agora suas Provas de Conceito (POC) – os pilotos de seus produtos. As empresas são todas de base tecnológica e atuam em setores estratégicos, como TI, segurança cibernética, agricultura, varejo e RH.

“Esta etapa de implementação de POCs é muito importante para o desenvolvimento dos negócios dessas startups. É neste momento que elas irão mostrar aos clientes brasileiros, para quem estão oferecendo seus produtos e serviços, que estão aptas a se adequarem ao mercado local e trazer inovação aos negócios de seus pares”, avalia Piero Minardi, Presidente da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP).

O Cônsul para Assuntos Econômicos de Israel em São Paulo, Itzhak Reich, ainda ressalta que “as economias do Brasil e Israel são complementares e a parceria comercial entre os países representa uma grande oportunidade para ambos os lados. O ScaleUp inBrazil dá a oportunidade para as empresas entenderem as particularidades do mercado brasileiro, com auxílio de profissionais qualificados e em parceria com algumas das maiores empresas do Brasil de diversos setores.”

Na primeira etapa de imersão, entre julho e agosto, elas estiveram em São Paulo e Florianópolis, e agora, retornam a São Paulo, mas também conhecerão o hub de inovação em Belo Horizonte. Ao longo das fases do programa, os empreendedores contam com a consultoria dos organizadores e parceiros no processo de implementação da operação. Eles têm acesso a workshops e encontros sobre assuntos jurídicos, tributários, bancários, marketing, branding, adaptação de produtos e desenvolvimento de negócios conforme as características do mercado brasileiro. Em 08 de novembro, as cinco startups se reunem para compartilhar resultados, impressões e expectativas para as próximas etapas.