A Arpac, startup prestadora de serviços especializadas em pulverização de lavouras com drones, abriu rodada de investimentos e captou R$ 1,3 milhões. Entre os investidores estão Francisco Forbes (Brasil) , investidor-anjo; a MOR Capital (Brasil), hub de investimentos; e o Drone Fund (Japão), fundo global de investimento especializado em drones – que faz seu primeiro investimento em uma empresa brasileira.

Fundada em 2016, pelo administrador e piloto de aviões Eduardo Goerl,  a Arpac teve um primeiro aporte em 2017 e para ampliar seus serviços abriu nova rodada para investidores neste ano.

“Com o aporte captado nesta última rodada vamos continuar a investir em tecnologia, na distribuição e capilaridade das nossas áreas de atuação no Brasil. Esta safra contamos com 5 bases operacionais e devemos ao menos duplicar para a próxima safra”, comenta Eduardo Goerl.

Para Francisco Forbes, a oportunidade do investimento vai ao encontro do momento do país. “O Brasil é uma referência mundial no agronegócio tradicional e tem todas as condições de criar tecnologia para um campo mais eficiente e mais saudável”, afirma.

“Os drones são novidade no Brasil, o mercado está muito receptivo e nos faz enxergar um futuro promissor para a região”, diz Soki Omae da Drone Found. “O investimento na Arpac marca a nossa entrada como investidores no Brasil, nós acreditamos na empresa e no potencial do país, especialmente no setor de agricultura”, completa.

A Arpac espera atender mais de 200 mil hectares de serviços para a próxima safra e já possui contratos com grandes empresas do setor. A startup está em crescimento e prevê faturar mais de R$ 1 milhão até 2020.