A Buser, startup que conecta passageiros a empresas de fretamento para viagens rodoviárias intermunicipais e interestaduais, acaba de levantar novos recursos em sua Série B em rodada liderada pelo Softbank.

Além do grupo japonês, a rodada foi acompanhada pelo Grupo Globo e pelos investidores atuais, Canary, Valor Capital Group e Monashees. Os investidores da Buser têm em seu portfólio outras startups, como 99, Rappi, Loggi, Gympass, Stone, Cargox, Uber e Quinto Andar.

“Com os novos recursos, vamos investir cerca de R$ 300 milhões nos próximos 12 meses, em marketing, tecnologia e expansão da rede de parceiros”, afirma o co-fundador e CEO da companhia, o engenheiro Marcelo Abritta.

Em novembro de 2018, a empresa já havia recebido um primeiro aporte junto a investidores institucionais, permitindo um crescimento de 1.500% ao longo de 2019 e chamando a atenção dos novos investidores. As recentes vitórias judiciais obtidas junto ao Supremo Tribunal Federal e nas esferas estaduais foram determinantes para possibilitar o investimento.

A meta, segundo Abritta, é alcançar 200 cidades em 20 estados nos próximos 12 meses, gerando 100 empregos diretos e 5 mil indiretos. “Com isso, será possível atingir a marca de 30 mil viajantes por dia, gerando economias anuais de R$ 500 milhões aos usuários”, disse.

A Buser é uma empresa da chamada nova economia, ou seja, atua no setor de transportes mas é 100% baseada em tecnologia. Hoje a empresa tem quase 2 milhões de usuários cadastrados, e transporta até 3 mil pessoas por dia. Nos últimos meses, registrou crescimento de de 5-10% por semana. Uma viagem intermediada pela plataforma chega a ser 60% mais barata que uma passagem tradicional, e conta com seguro, motoristas profissionais, veículos inspecionados e monitorados por GPS, além de outros itens de segurança.

Paulo Passoni, sócio de investimentos do SoftBank responsável pela operação, destaca que “esse é o início de uma parceria de longo prazo entre Softbank e Buser, que está aplicando tecnologia para transformar o mercado rodoviário, oferecendo uma nova alternativa de alta qualidade, segura e a preços justos, para uma população muito necessitada.”