De olho no aumento crescente de pessoas que estão buscando crédito, inclusive aquelas que estão negativadas e quem não tem conta em banco, a EasyCrédito, marketplace que conecta pessoas físicas que precisam de dinheiro com empresas que oferecem empréstimos, cartões e financiamento, quer expandir sua atuação.

Para isso, está lançando APIs (interfaces de programação de aplicações) para permitir que qualquer empresa possa oferecer, no seu canal de venda, a opção do cliente solicitar análise de crédito junto às instituições financeiras e fintechs parceiras da plataforma da startup, que hoje, são 32.

A novidade faz parte da estratégia de expansão da empresa, que acabou de receber um aporte de R$ 2,5 milhões em uma rodada de investimentos do Criatec 2, fundo gerido pela Crescera Investimentos (anteriormente Bozano).

“A EasyCrédito alia uma plataforma tecnológica sólida em um mercado promissor com um time qualificado e com grande conhecimento. A fintech está muito bem posicionada para se tornar uma das grandes empresas do setor”, afirma Fernando Wagner da Silva, Head de Venture Capital na Crescera Investimentos.

Crédito

Com a utilização de suas APIs, a  meta da fintech é agregar mais de 1 milhão de propostas de crédito na sua plataforma até o final deste ano e chegar a 10 milhões em 2020. “Nós vemos o crédito como uma oportunidade para as pessoas realizarem desejos. Com essa novidade, nossa estratégia é estar presente onde o consumidor está, fazendo com que o crédito esteja mais presente no dia a dia das pessoas”, destaca Marcos Túlio Ramos, CEO da EasyCrédito.

As APIs desenvolvidas pela startup possibilitam que empresas de qualquer setor que comercializem algum bem ou serviço possam integrar e compartilhar dados com a plataforma da fintech, beneficiando os clientes com um acesso mais conveniente às linhas de crédito.

Essa integração também é vantajosa porque, seja no ambiente online ou offline, uma empresa, um comerciante e até profissionais de campo, como um corretor de seguros, podem simular um pedido de análise de crédito, em acordo com o cliente, e oferecer o acesso a uma linha de financiamento já pré-aprovada aos seus consumidores.

Para o consumidor, a vantagem é obter crédito pré-aprovado, já que a fintech antecipa a análise de crédito. “Quando alguém estiver buscando por um curso de especialização em um website que tenha nossa API, por exemplo, essa pessoa terá a opção de clicar em um botão para avaliar opções de crédito já pré-aprovados que possam ajudá-lo nessa possível aquisição”, comenta Ramos, ressaltando que o crédito adquirido pode ser utilizado, inclusive, para outros fins, como pagamento de contas pessoais.

Para a fintech, o maior benefício com as APIs será a expansão do seu canal de aquisição de usuários. Antes, as pessoas interessadas em crédito precisavam entrar no site da empresa e preencher um pedido para receber as propostas.

A estratégia da EasyCrédito para para ganhar mercado é levar suas APIs de crédito a empresas de educação, saúde, e-commerce, marketplaces, corretoras de imóveis e de seguros, além de correspondentes bancários. Para a fintech, o desafio é mostrar às companhias que a integração de seus sistemas com a plataforma da fintech gera valor para o negócio. “Além disso, segundo Ramos, as empresas são remuneradas pela taxa de sucesso de empréstimos realizados pelos seus clientes. Então, isso passa a ser mais uma fonte de receita para elas.