A idwall, startup brasileira especializada em soluções digitais de validação de identidade, acaba de levantar R$40 milhões em sua terceira rodada de investimentos. O investimento foi liderado pelo Qualcomm Ventures LLC e seguida por nomes como ONEVC, Canary, Monashees e Grupo Globo. O investimento do Qualcomm Ventures vem de seu novo Fundo de Inteligência Artificial, marcando o primeiro aporte em uma companhia da América Latina.

“Sempre nos preocupamos em montar o nosso time dos sonhos, dentro ou fora da idwall. Por isso, procuramos parceiros com ideias similares às nossas do ponto de vista tecnológico, de venture capital e propósito”, diz Lincoln Ando, cofundador e CEO da startup. “A Qualcomm, por exemplo, é uma referência global em tecnologia, especialmente quando se fala sobre o desenvolvimento de soluções em IA”.

Alexandre Villela, diretor sênior da Qualcomm Technologies Inc. e diretor-geral do Qualcomm Ventures na América Latina, enfatiza a importância de construir um ambiente digital mais seguro na região.

“Estamos entusiasmados em investir na idwall, empresa com uma plataforma de ponta baseada em inteligência artificial que ajuda a reduzir a fraude online e o roubo de identidade, uma questão crucial na economia digital de hoje”, diz Alexandre Villela. “Estamos ansiosos para colaborar de forma que eles possam aproveitar as plataformas móveis da Qualcomm, com processamento de IA no dispositivo, para tornar suas soluções mais rápidas e eficientes”.

Para o Grupo Globo, o aporte financeiro na idwall faz parte de sua estratégia de investimentos em empresas de tecnologia que busquem solucionar grandes desafios de forma inovadora, como a aplicação de IA e análise de dados na otimização de processos visando o aumento da confiança no ambiente digital.

Em três anos de existência, a idwall já acumulou mais de R$50 milhões em rodadas que contaram com nomes como Monashees, Canary, Fundação Estudar e Mercado Livre.

Agora, finalizado a Series B, Lincoln Ando revela que o plano é continuar aplicando os investimentos na expansão da idwall, que pretende abrir 200 vagas em 2020 e hoje conta com centenas de clientes – entre eles Loggi, Movida, Banco Original, Sicredi e Neon.

Ele reforça que é essencial pensar na desburocratização dos processos de cadastro de usuários, tornando os serviços mais eficientes, seguros e em conformidade com um ambiente regulatório cada vez mais rígido.

“Temos uma missão que se fortalece a cada dia, que é resolver o desafio da identidade no Brasil – queremos que empresas e usuários possam ter conexões mais transparentes e seguras, pois acreditamos que o aumento da confiança é essencial para o desenvolvimento da economia”, finaliza.