Bynd, empresa especializada em caronas corporativas, captou R$ 1,2 milhão por meio da EqSeed, plataforma online de investimentos em startups. A empresa recebeu aportes de 106 investidores, que injetaram um ticket médio de R$ 11 mil cada.

Para o sócio e Head de Relações com Investidores da EqSeed, Anthony Mc Courtney, o Bynd chamou a atenção da base de investidores, entre outros pontos, pela maturidade do negócio. O Bynd já possui 17 grandes clientes, soma mais de 150 mil caronas realizadas e é uma das empresas selecionadas para o programa de aceleração do Facebook e Artemisia dentro da Estação Hack.

“Oferecemos aos nossos investidores somente oportunidades em startups realmente qualificadas, que apresentam modelos concretos e as qualidades que buscamos. O Bynd traz uma solução relevante e benéfica para seus usuários, sociedade e o meio ambiente. Esse conjunto evidencia a relevância da empresa, o que a torna também um ativo interessante para os seus investidores”, destaca Mc Courtney.

Gustavo Gracitelli, cofundador e CEO do Bynd, comemora o resultado da rodada. “Estamos muito satisfeitos pela agilidade e qualificação da base de investidores da EqSeed. É uma solução que oferece transparência, tanto para a empresa que está captando, como para os investidores, então funciona. Acreditamos na economia compartilhada e essa captação é mais uma prova da eficiência desse modelo. Foi uma ótima experiência”, afirma.

O executivo acrescenta ainda que o aporte será aplicado na expansão da empresa, que busca aumentar de tamanho principalmente nas áreas de tecnologia e comercial. “Até o fim de 2020, esperamos mais que dobrar o número de clientes corporativos, chegando a 40. Também pretendemos entregar a versão 4.0 do aplicativo, com possibilidade de transação entre usuários, e chegar à marca de 280 mil caronas realizadas”, revela.

Segundo Gracitelli, as metas ousadas são embasadas, sobretudo, no potencial do mercado. De acordo com o grupo de pesquisas Orbis Research, a receita esperada para o mercado global de Ride Sharing em 2025 será de US$ 218 bilhões, valor que pode ser explicado de forma simples: cada vez mais pessoas precisam se locomover, mas as ruas das grandes cidades não comportam mais tantos veículos e há assentos vagos nos carros.

“Uma pessoa perde, em média, três horas por dia se deslocando em uma cidade como São Paulo. No entanto, cerca de 64% dos carros levam apenas o motorista, de acordo com dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Além disso, segundo levantamento da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) de 2018, a ineficiência do trânsito causa um prejuízo de R$ 290 bilhões para os brasileiros. Então, está evidente que estamos usando o carro da forma errada e o Bynd se propõe a mudar essa realidade”, frisa.