A Volocopter, uma empresa alemã que desenvolve aeronaves elétricas de decolagem e aterrissagem (eVTOL), anunciou que levantou 50 milhões de euros (US$ 55 milhões), em uma série C de financiamento, liderada pela empresa automotiva chinesa Zhejiang Geely, dona de marcas de carros como Volvo e Lotus.

Fundada em 2011, a Volocopter é uma das várias startups de aviação urbana que surgiram nos últimos tempos, incluindo a Lilium, que levantou mais de US$ 100 milhões para uma proposta semelhante. A Boeing também lançou recentemente um teste para seu protótipo de “carro voador”, e a Airbus concluiu seu primeiro teste de táxi aéreo autônomo no ano passado. A Uber, por sua vez, também está investindo muito em pesquisas de táxi aéreo.

Em seus oito anos de atividade, a empresa testou e interveio em três gerações de aeronaves, que receberam várias licenças para voos tripulados e não tripulados. No ano passado, a Volocopter demonstrou seu primeiro voo de passageiros com o ex-CEO da Intel, Brian Krzanich, no banco do motorista.

A Volocopter havia levantado anteriormente cerca de US$ 34 milhões de investidores renomados que incluem Daimler e Intel e, com sua mais recente injeção de dinheiro, planeja trabalhar em direção à certificação comercial do seu recentemente anunciado táxi aéreo “VoloCity” de dois lugares por meio da Autoridade Europeia de Segurança Aérea (AESA). A empresa disse que espera lançar comercialmente até 2022.

“A mobilidade urbana precisa evoluir nos próximos anos para atender à crescente demanda”, disse Florian Reuter, CEO da Volocopter. “Com nossos táxis aéreos, estamos adicionando um novo nível de mobilidade nos céus. Essa rodada de financiamento nos permite dar grandes passos no sentido de dar vida à mobilidade aérea urbana, respeitando o dinheiro de nossos acionistas ”.

Este é realmente o primeiro fechamento da rodada, e a empresa disse que espera acrescentar mais investimentos ainda este ano, de “investidores estratégicos e financeiros”, de acordo com um comunicado.

Fonte: Venture Beat