* Por Henrique Volpi

Você já andou de patinete elétrico? Já pedalou em alguma “bike”, da Tem Bici? Aquela do Itaú? Muito massa, não é mesmo?

O fato é que quase todos os dias, você tem a seu dispor uma nova solução de mobilidade urbana. Nas grandes cidades como São Paulo, com a chegada da Lime, estima-se chegarmos a 10 empresas e termos 100 mil patinetes.

Cidades como São Paulo e Rio ficam mais alegres e saudáveis. Os usuários podem ser deslocar com as mais diversas opções com custos “quase em conta”, fazendo exercícios e na maioria das vezes melhorando o trânsito.

Com investimentos de mais de US$ 5,7 bilhões nas startups do segmento, segundo dados da Mackinsey, o setor está em franca expansão global. O mercado norte-americano é estimado em quase US$ 300 bilhões para o ano de 2030.

Mas, como fica a segurança neste novo cenário de diferentes modais? Pesquisas apontam um grande aumento no número de acidentes.

No caso da Suíça, mais de 400.000 crianças chegam à escola de patinetes. Neste caso, eles não são elétricos. Criou-se assim, uma associação local para estudar e divulgar projetos de segurança e bom uso dos patinetes pelos pequenos.

No caso dos equipamentos elétricos, precisamos pensar na proteção das pessoas que utilizam estes equipamentos. Além da recomendação do uso de capacetes, baixa velocidade, cuidado com menores de idade e restrições de uso nas calçadas, seguros podem ser uma ótima opção.

Os seguros chegam em uma boa hora. Eles podem proteger o usuário em caso de acidentes, bancando inclusive gastos médicos e eventuais faltas ao trabalho. No caso dos equipamentos, eles também podem ter uma proteção para casos eventuais de danos.

Imagine, então, um caso hipotético que você, usuário, voa com o seu patinete e arrebenta um Tesla machucando inclusive o motorista. Seguro! Mesmo em cenários improváveis, você pode estar protegido. Procure na internet por ofertas e cobre do seu provedor de serviços.


Henrique Volpi é sócio-fundador da Kakau Seguros, formado em Administração pela PUC-SP, com especializações em fintech pelo MIT e em liderança do futuro pela Singularity University. Trabalhou em empresas como BMC, EMC Dell e Servicenow. Foi co-autor do livro “The INSURTECH Book: The Insurance Technology Handbook for Investors, Entrepreneurs and FinTECH Visionaries”.