A Revelo, startup de recrutamento digital, acaba de receber um aporte de R$70 milhões em rodada liderada pelo IFC (International Finance Corporation), braço de investimentos do Banco Mundial. Este é o maior investimento em uma HR Tech da América Latina e a primeira série B do setor no Brasil.

Com o investimento, o IFC amplia sua presença no país, onde já investiu em startups como Loggi, Creditas, GuiaBolso e Mandaê. Também participam da rodada da Revelo o fundo FJLabs (EUA) e Dalus Capital (México), além de Valor Capital (EUA) e Seek (Ásia/Pacífico), que já haviam investido na startup.

“Estamos bastante empolgados com este aporte, que nos possibilitará continuar crescendo em ritmo acelerado, lançar novos produtos, além de expandir nossa atuação para novas cidades. Queremos ser um hub de carreiras para profissionais de alto nível, um ponto de encontro entre as empresas mais inovadoras e os talentos mais qualificados”, afirma Lachlan de Crespigny, cofundador da Revelo.

A Revelo foca no recrutamento de candidatos qualificados – ajudando-os a encontrar o melhor modo de avançar na carreira e conectando-os com as melhores oportunidades, de forma digital e 100% gratuita. O público-alvo da startup são profissionais qualificados das áreas de finanças, gestão de projetos, design, tecnologia e marketing. “Hoje em dia, a maioria desses profissionais ainda acaba sendo recrutado de maneira offline”, afirma o cofundador Lucas Mendes.

Para empresas, a Revelo oferece uma série de soluções digitais de recrutamento, usando inteligência artificial para tornar mais eficiente a atração e seleção de talentos, e a gestão de processos seletivos. As empresas que usam a plataforma da Revelo alcançam uma velocidade 5 vezes maior no preenchimento de vagas (o tempo médio cai de 68 para 14 dias) a um custo 80% mais baixo do que consultorias de recrutamento.

A indústria de HR Tech global já produziu muitos unicórnios (como Ziprecruiter e Indeed) porém, mais recentemente é a China que tem liderado essa revolução: nos últimos 10 anos, nasceram 7 unicórnios nessa indústria no mercado chinês – como Liepin, Boss, Zhaopin e 51job (esta última é avaliada em mais de $6 bilhões). “O modelo da Revelo se inspira nesses gigantes chineses”, diz Lachlan de Crespigny.

O investimento levantado pela Revelo é maior que a soma das duas rodadas anteriores da startup, que foi criada em 2015 por Mendes e de Crespigny. A primeira rodada, de R$ 3 milhões, feita por fundos como Social Capital e Graph Ventures foi feito em 2015. A segunda, de R$ 14 milhões (Série A), foi feito em 2017, liderado pelos fundos Valor Capital Group (EUA) e Seek (Ásia/Pacífico).

Apesar do alto índice de desemprego no país, que atinge 13 milhões de brasileiros, segundo o IBGE, a Revelo vem triplicando de tamanho anualmente. “Isso acontece porque nosso foco é em profissionais qualificados. Em áreas de alta demanda, como mercado financeiro e tecnologia, a procura por talento não para de crescer”, diz Lucas Mendes.

Atualmente, mais de 3 mil empresas e 1 milhão de candidatos usam a Revelo. Além disso, cerca de 1 mil companhias usam a Revelo todos os meses para encontrar candidatos. Entre os clientes, estão Ambev, B2W, XP Investimentos, Accenture, entre outros.