* Por Bruno Perin 

Faz muito tempo que larguei os estudos de Neurociência com mentoria do Alex Born (pai do Neuromarketing no Brasil), mas algo que nunca esqueci e me ajudou muito no empreendedorismo foi entender sobre as ofertas no mercado.

Você pode olhar no mercado e ver aquela prateleira linda e cheia de marcas de café e pensar – WOW, eu amo café – mas ao chegar próximo a ela e ver tudo aquilo de opções, fica tonto e acaba escolhendo o de sempre ou nem comprando.

Nós gostamos de ter opções, mas o fato de ter que pensar em muitas possibilidades, atrapalha. Essa é uma das curiosidades que aprendi. Se liga como pensar em ofertas do que você está trazendo para o mercado:

Poucas

O caso que citei acima relata um problema muito grande da maior parte das pessoas que quer empreender: perceber que pode atuar em várias frente. O empreendedor enxerga mutas formas de ganhar dinheiro, mas não se liga que no ponto de vista do cliente pode atrapalhar.

Afinal o que de fato eu escolho? O que eu preciso? Isso é um fator inibidor”. Quanto menos opções, melhor. Deixa a pessoa só com 1, 2 ou 3, para ela não ter muito o que pensar e você gastar mais força em convencer ela sobre “compro ou não compro”.

Claras

Na mesma linha da escolha, a questão de como vai ser para usar o produto e serviço. Às vezes o processo é longo e cheio de etapas, que além de parecer mais caro é pior de imaginar o resultado. Veja o exemplo:

– Massagem na cintura: faça uma análise.  Vamos entender e desenhar uma estratégia para ir melhorando sua cintura, e conforme o tempo, vamos adequando a massagem para conseguir melhores resultados de acordo com o seu perfil. – O que você imagina?

– 3 Massagens na cintura para diminuir números: são 3 encontros com massagens destinadas a diminuir números da sua cintura. Com esse primeiro trabalho, resultados visíveis de perda do número já aparecem. – E agora?

Você pode até gostar da forma mais personalizada da primeira e achar bonitinho como apresenta o trabalho, mas a gigante maioria compra a segunda! Deixe claro como vai ser o resultado, quanto mais nítido melhor.

Boa

Faça uma oferta justa que esteja dentro do mercado, algo que as pessoas possam experimentar e você seja pago adequadamente pelo o que entrega.

Muitas vezes, os empreendedores querem que as pessoas decifrem o valor do seu produto/serviço – Ei, você é o especialista e conhece do seu produto/serviço e os seus potenciais, clientes, não. Cabe a você expor o que tem de diferencial, porque isso é valioso para ter o preço que tem.

Deixe muito claro para as pessoas não terem dúvida, porque é uma boa oferta.

Não seja tudo

Para finalizar, esse é um cuidado final. Tem muita gente que acha o máximo seus negócios ou habilidades serem mil e uma soluções, mas por mais que você veja o mercado maior que pode comprar, as pessoas tendem a desconfiar.

Nunca esqueci de um palestrante que falava sobre marketing, tecnologia, vendas, neurociências, empreendedorismo, bitcoin, como falar em público. Um dia eu falei para ele – cara você vai dar curso de corte e costura daqui a pouco – e ele ainda me respondeu – Se tiver gente pagando vou.

Sério, como levar a sério alguém assim?

O mercado já é muito competitivo, foque no que você é sensacional e vai!

Esse vídeo complementa:


Bruno Perin, um cara Free LifeStyle, empreendedor, consultor, palestrante e escritor. Autor do livro – A Revolução das Startups. Pioneiro na combinação dos conhecimentos em Startup, Empreendedorismo, Marketing e Comportamento Jovem alinhado a Neurociência. Busca das formas mais diferentes, malucas e inusitadas possíveis desenvolver pessoas e negócios que façam a diferença no mundo, de jeito divertido, valorizando a vida e o agora.