* Por Juliana Maffia

Como um verdadeiro reflexo da carência de inovação nas áreas de atração, retenção e desenvolvimento de talentos, as HR Techs, startups ligadas ao setor de Recursos Humanos, têm chamado a atenção das grandes empresas. Já é rotineiro ver gestores de marcas renomadas, como Ambev, Kraft Heinz e Bayer fazendo uso das novas tecnologias disponíveis no mercado, para gerar cada vez mais eficiência em seus processos internos.

Outro motivo para que seja crescente a demanda dos maiores players mundiais em se relacionar com as HR techs é a chegada das novas gerações ao mercado de trabalho. A chamada Geração Z, por exemplo, é nascida após os anos 2000 e têm um comportamento totalmente digital. Ou seja, processos seletivos arcaicos ou empresas muito convencionais já não os atraem.

Para não deixar escapar esses novos profissionais, as maiores empresas do mundo têm aberto as portas para inovações e interações por meio de chatbots, automação de recrutamento e people analytics. Além disso, gestores de recursos humanos ganham em tempo e eficiência quando deixam de lado os papéis operacionais e passam a fazer uma gestão em uma única interface online.

Hoje é possível traçar a jornada de um candidato antes mesmo dele aplicar para uma vaga. Até mesmo testes técnicos ou de idiomas já podem ser realizados online, em ambientes que sejam confortáveis para essa nova geração, e trazendo para o gestor um dossiê online com o perfil e competências do seu candidato.

Portanto, independente do tamanho de sua empresa, vale ficar atento ao que as HR Techs podem agregar ao seu negócio em termos de gestão de pessoas e desenvolvimento de colaboradores em todos os seus aspectos. Pense nisso!


Juliana Maffia é Coordenadora de Marketing da Matchbox Brasil, HR Tech de Talent Acquisiton.