* Por Oséias Gomes

Excesso de vaidade, falta de atenção às inovações e não entender os anseios dos consumidores são alguns dos motivos que podem levar ao insucesso de diversas startups. De maneira geral, os empreendedores perdem muito tempo procurando por um possível investidor, e isso tira o foco de qualquer administrador. O dinheiro tem o seu valor, mas, mais importante que isso é colocar o negócio para rodar, curtir o projeto e mais ainda, se envolver com o conceito da própria empresa para administrá-la.

No geral, as ideias das startups são ótimas, mas em sua grande maioria, o idealizador não tem preparo ou conhecimento de gestão ou liderança e, por isso, o negócio entra no percentual de empresas que fecham antes dos cinco anos. Isso é o que constata um estudo realizado pela Startup Farm e divulgado em 2018, que mostra que 74% das startups brasileiras fecham após cinco anos, e 18% encerram as atividades antes mesmo de completar dois anos. Esses números mostram que existem falhas no processo estrutural do negócio ou na proposta da empresa.

Veja a seguir os principais erros cometidos na gestão de uma startup:

Erro 1 – Falta de coragem para empreender

Em muitos casos, os empreendedores fundam uma startup baseados em uma vontade própria ou numa oportunidade momentânea. Contudo, é necessário estudar a viabilidade do projeto com conhecimento, e ter o máximo de domínio sobre o que se quer fazer. Somente assim o empreendimento fará sentido e se concretizará. Em sua maioria, investir em algo que não conhece, pode ser uma armadilha. Mas, com conhecimento amplo do seguimento é possível criar o “novo” e o tornar um diferencial no mercado, e é por isso que o empreendedor não se pode deixar engessar. Afinal, para empreender é preciso coragem!

Erro 2 – Preocupação só com as ideias 

Os empreendedores, em sua maioria, estão mais preocupados na ideia do produto ou serviço, por isso, não ouvem e não se permitem enxergar os concorrentes e os clientes que irá conquistar. Na maioria das vezes, o foco está apenas no desenvolvimento de algo novo, esquecendo-se de estruturar e colocar em prática processos para uma vida longa do negócio. É necessário cuidar do início – da estrutura do negócio, do meio – quando a ideia toma forma e conquista clientes, e da última etapa, que é o lucro. Com todas essas fases muito bem acertadas já é possível administrar a empresa e alcançar o sucesso.

Erro 3 – Excesso de Vaidade

Fundadores de startups, geralmente, se sentem tão envaidecidos pelo próprio negócio, que não conseguem detectar as necessidades básicas da empresa. Em decorrência disso, há uma grande dificuldade de enxergar os fatos e, por isso, perdem excelentes oportunidades de crescimento. A geração dos jovens empreendedores precisa superar essa vaidade, para se tornarem gestores competitivos e atualizados, dentro do mercado de constante evolução.

Erro 4 – Falta de atenção às inovações

Oferecer mais do mesmo é o erro mais comum entre as startups que fecham. Uma empresa, seja qual for o segmento, exige competências bem amplas de mercado, em razão disso, o empreendedor precisa sempre procurar as inovações que os setores oferecem. Perceba o que o mercado está pedindo, como se antecipar a uma tendência e ser disruptivo. Ficar preso ao tradicionalismo pode ser indício de falta de atitude de se permitir criar algo novo, não só na forma do produto, mas às vezes na sua utilização, no direcionamento correto do público, entre outras variáveis. A tecnologia está quase sempre colocada ao conceito de startup e tudo isso muda muito rápido. O atual hoje pode não ser o melhor negócio para o amanhã, fique inquieto e de olho sempre nas mudanças e anseios da sociedade.

Erro 5 – Dar ouvidos a palpites sem fundamento

Os executivos, em geral, são alvos de conselheiros inexperientes que não conhecem quase nada do mercado e que acabam por fazer orientações erradas levando as startups ao fracasso. Podemos considerar que bate-papos e trocas de experiências são comuns no mundo dos negócios, mas orientar como proceder em determinado problema é muito complicado. O importante nesses casos é não se deixar levar por aplicações sem fundamento e seguir com o negócio, procurando profissionais gabaritados para auxílio. Persistir na ideia, acreditar no negócio, montar um planto de execução e gerir com eficiência são alicerces inegociáveis para o sucesso a longo prazo dos negócios.

Erro 6 – Não saber lidar com colaboradores

O fator pessoas se faz presente no mundo dos negócios, principalmente em startups. Não valorizar colaboradores pode ser ruim para o negócio, por isso, o ideal é reconhecer de que forma como cada um poderá contribuir com o negócio e designar as funções. Com essa identificação pronta, o próximo passo será capacitá-los para as atividades.

* Oséias Gomes é autor do best-seller “Gestão Fácil”, da editora Gente, palestrante e CEO da Odonto Excellence, o empresário atua há mais de 20 anos em gestão empresarial e como consultor de negócios em empresas e startups.