Hoje, 8 de agosto, o Brain – centro de inovação da Algar Telecom – completa dois anos de existência. A data foi escolhida para, além de comemorar os resultados obtidos com a iniciativa em Uberlândia, sede da companhia, lançar também o braço do Brain na cidade de São Paulo.

A nova filial paulista pretende aumentar a proximidade com o rico ecossistema de inovação da cidade, terreno fértil para a busca de novos parceiros, e com os clientes da Algar Telecom na região. “Somos uma Instituição de Ciência e Tecnologia cujo objetivo é melhorar os processos e resultados tanto da Algar Telecom quanto dos clientes. Para isso, juntamos um ecossistema para gerar valor para os clientes e parceiros”, diz Zaima Milazzo, presidente do Brain. Na sede de Uberlândia, mais de mil pessoas foram capacitadas por meio das metologias ágeis aplicadas no ICT.

O primeiro parceiro do Brain em São Paulo é a Aruba – uma empresa HP, que atua com segurança e conectividade. Com a parceria, o objetivo é desenvolver produtos e soluções para mobilidade, Internet das Coisas e computação em nuvem. “O objetivo do primeiro projeto será atender grandes clientes de forma customizada, entendendo a fundo suas dores e nos unindo com diferentes atores para resolvê-las por meio de soluções inovadoras. É um modelo novo para a própria Algar Telecom, mas também teremos projetos alinhados às frentes em que já atuamos em Uberlândia”, explica a executiva.

Para focar em clientes corporativos com essa vertente mais customizada, o primeiro squad contará com oito pessoas. Além do PO (Product Owner) e do scrum master, papeis tradicionais dentro da metodologia Agile, a equipe será composta por profissionais de negócios (pré-vendas, vendas e marketing) e um grupo de perfil técnico, englobando especialistas tanto da Aruba quanto da Algar Telecom.

Para o desenvolvimento das soluções, a Aruba entra também com a oferta de equipamentos. “A ideia é unir forças para pensar soluções de conectividade que apoiem os desafios de grandes negócios e que facilitem seu dia a dia ao economizar tempo, elevar a produtividade ou aumentar a segurança, por exemplo. Essa é a primeira vez que trabalhamos dessa forma e a nossa expectativa é que desse squad saia uma grande referência para expandirmos a metodologia para outras frentes”, diz Eduardo Gonçalves, presidente da Aruba no Brasil.

Divino Sebastião de Souza, CEO do Grupo Algar, falou sobre a importância do Brain para a companhia. “O nosso conceito de inovação não pode ser muito técnico, com muita engenharia. Tem que ser um conceito que vem para facilitar a vida das pessoas e das organizações. É nesse sentido que o Brain está se desenvolvendo. O Grupo Algar, há décadas, é motivado a inovar de dentro pra fora. A criação do Brain, para a Algar, não foi ‘modismo’, está no nosso DNA”, completa.

Além do centro em São Paulo, a companhia anunciou também que abrirá em breve uma unidade do Brain em Recife, para atender às demandas da região nordeste e acompanhar de perto o ecossistema pernambucano, um dos mais fortes no cenário de inovação do País.