* Por Luiz Felippe Correia

O investimento-anjo e o empreendedorismo nunca estiveram tão em evidência quanto no momento atual, e a cada ano que passa, mais pessoas têm se deslocado de carreiras corporativas para fundar sua própria startup.

E o Shark Tank Brasil, franquia do programa originalmente exibido nos Estados Unidos, tem acompanhado esse movimento e impulsionado cada vez mais pequenos empreendedores.

Para fomentar o ecossistema empreendedor do Rio de Janeiro e a fim de comemorar o lançamento da nova temporada do Shark Tank Brasil, as investidoras Camila Farani e Cristiana Arcangeli, participantes do programa, decidiram realizar um grande evento na última sexta-feira.

A Tegra Incorporadora – patrocinadora principal do encontro -, recebeu no Tegra Hub, espaço de coworking na Barra da Tijuca, mais de 300 pessoas para assistir ao vivo o primeiro episódio do programa e o STARTUPI estava presente fazendo a cobertura completa do evento.

O painel principal foi composto pelas duas investidoras e pelo presidente da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), Amure Pinho, que mediou as perguntas.

Durante o painel, Cristiana Arcangeli enfatizou a importância do apoio ao empreendedorismo, tendo em vista a incerteza no futuro quanto à geração de empregos e ao sustento das famílias.

Ela complementou dizendo: “o Shark Tank tem esse viés de mostrar um pouco como fazer, de que jeito fazer e como sair do zero para construir um negócio. Expõe ainda quais negócios dão certo e quais não dão, e também quais riscos se pode correr, o que é muito importante para o aprendizado do empreendedor”.

Ao ser indagada por Amure sobre o que é fundamental em uma startup para ser considerada para investimento, Camila disse: “para mim é importante o grau de defensibilidade do negócio e o quão alta é a barreira de entrada para outros negócios. Após analisar essas dinâmicas de mercado em relação ao negócio, pensamos em relação a equipe. O time é complementar? E conseguimos sentir muitos desses fatores com poucos minutos de conversa.”

Camila ainda complementou: “para mim como investidora-anjo é fundamental que os negócios tenham escalabilidade e é importante entender como a empresa se replica”.

Cristiana comentou ao final do painel sobre o empreendedorismo feminino e destacou a importância do fomento ao mesmo para a vida das mulheres.

De acordo com a investidora, o empreendedorismo feminino é um pilar que pode sustentar a independência das mulheres empreendedoras, de modo que ao fazerem seus próprios negócios crescerem, estas conquistam uma importante independência financeira e, principalmente, pessoal.

A nova temporada tem uma grande novidade: a presença do empresário e investidor José Carlos Semenzato. Ele é dono da SMZTO Holding de Franquias, que controla diversas marcas de diferentes setores, entre elas a Espaço Laser, de depilação, em sociedade com a apresentadora Xuxa.

Além disso, a holding contra também o Instituto Embelleze, a rede de clínicas odontológicas OdontoCompany e os quiosques de açaí Oakberry. Estima-se que as empresas do grupo devem faturar R$2,2 bilhões em 2019.

Após o término da exibição do episódio da nova temporada de Shark Tank, houve uma extensa sessão de fotos e ficou evidente o importante papel da educação que o programa difunde para os empreendedores cariocas presentes.

* Luiz Felippe Correia trabalhou no Gávea Angels, grupo de investimento em startups, período em que ajudou na expansão do grupo para outros dois estados. Atualmente exerce a atividade de consultor de Marketing Digital. Fez parte ainda de um grupo seleto de alunos do curso de Inovação Transdisciplinar da Hebrew University em Israel, além de ter sido finalista da Brazil Conference at Harvard & MIT 2019 para embaixador.