A GoMoney, plataforma de negociação de criptomoedas sediada no Brasil, passou também a emitir e administrar sua própria moeda virtual, o GoMoney Coin (GMC). Com valor atrelado ao dólar (1 GMC = 1 dólar), o GMC reúne os benefícios da negociação do ativo virtual, como segurança e descentralização, à baixa oscilação da moeda tradicional.

Como seu valor é o mesmo do dólar, o GMC pode ser convertido em qualquer outra moeda (euro, iene, real etc.) pela cotação do dia, ou mantida como ativo que se valoriza seguindo a moeda americana. Assim, como ativo real, o GMC pode ser empregado na compra ou venda de bens, pagamento pela prestação de serviços, transferências, ou reserva de valor em dólares. “As aplicações são inúmeras, pois não há o risco das oscilações de preços”, afirma Maurício Pires, CEO da empresa.

Enquanto “stable coin”, ativo lastreado em outro mais estável, o GMC diferencia-se das demais criptomoedas. “É possível saber exatamente quanto custa um GMC, o que minimiza riscos de volatilidade para nossos usuários, e torna o nosso ativo uma moeda digital segura e sem fronteiras”, destaca.

Segundo Pires, o conceito de criptomoeda foi uma das maiores revoluções do mercado financeiro dos últimos tempos, mas a forte flutuação de preços das moedas virtuais existentes, que impede que elas exerçam plenamente as funções de meio de troca e de medida de valor, vinha atrapalhando o desenvolvimento desse mercado.

A plataforma, garante a recompra da criptomoeda pela cotação do dólar a qualquer momento. A utilização do blockchain viabiliza o uso GMC por qualquer pessoa, física ou jurídica, cadastrada na plataforma GoMoney.