*Por Mônica Hauck

Toda empresa precisa contar com profissionais competentes para fazer o recrutamento e seleção de colaboradores. Entretanto, mesmo com tantos recursos hoje em dia, muitas organizações ainda sofrem com avaliações equivocadas que, invariavelmente, resultam em uma contratação errada.
Mas para quem quer ser competitivo e garantir o crescimento do negócio, é preciso eliminar esses erros, pois eles geram uma série de consequências negativas e podem causar sérios danos à uma empresa, como ir à falência, por exemplo. Para evitar esse tipo de problema, existem quatro pilares da gestão comportamental que valem a pena serem avaliados.

Evitar a baixa produtividade da equipe

Quando uma empresa erra na escolha da contratação de um funcionário, contribui diretamente para o aumento do turnover em sua empresa, ou seja, gera maiores demissões que acabam criando menor expectativa entre os colaboradores. Como consequência, as ferramentas de gestão de pessoas sofrem com as perdas de dados e não apresentam o efeito esperado, pois o grupo passará por reestruturação a todo o momento. Assim, para que os resultados se mantenham positivos, sempre haverá aquele colaborador sobrecarregado para dar conta do trabalho dos outros.

Nesse momento, é preciso não só investir em um processo seletivo eficiente. O RH também deve realizar ações que valorizem, motivem e recompensem os colaboradores sobrecarregados para não aumentar a rotatividade e diminuir a produtividade ainda mais.

Manter a cultura organizacional aquecida

Ter um grupo que compreende os valores da empresa e busca sempre o crescimento com base na missão e visão da organização, é essencial para legitimar a cultura interna e garantir a harmonia entre os colaboradores. Em contrapartida, quando o gestor faz uma contratação errada, essa cultura é enfraquecida. Isso porque a inserção de um membro que não compartilha dos mesmos objetivos dos demais, tende a causar conflitos e prejudicar o equilíbrio.

Sendo assim, o ideal é focar não só nas características técnicas necessárias para executar a função. É preciso valorizar também as virtudes éticas, morais e o profissionalismo do candidato, além de estruturar um bom programa de integração. E para isso, algumas ferramentas eficientes de gestão comportamental são essenciais para essa escolha.

Evitar custos altos

Uma contratação equivocada traz prejuízos financeiros para a empresa. Esse valor equivale de 3 a 15 vezes o salário do demitido, de acordo com um levantamento feito por Celso Bazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria em RH. Nesse valor estão embutidas as despesas com um novo processo de contratação (anúncio de vaga, exame admissional, uniforme), treinamento, integração na equipe, entre outros. Além disso, a empresa deve calcular também o tempo de adaptação do funcionário até que ele consiga ser produtivo.

Para quem quer se manter vivo no mercado em tempos de crise, esses gastos devem ser evitados. A melhor forma de garantir isso é acertar na contratação, manter a equipe motivada e controlar os índices de rotatividade.

Manter a imagem da empresa sempre positiva

Saber valorizar sempre os colaboradores para que eles ajudem na divulgação positiva da companhia e ter um processo de seleção criterioso para evitar problemas posteriores é de extrema importância para uma instituição. Todos esses prejuízos podem ser evitados quando o gestor de RH faz um planejamento adequado do processo de seleção e investe em ferramentas de gestão de pessoas para valorizar e desenvolver os colaboradores com inteligência artificial utilizando o método de People Analytics.


Mônica Hauck é Fundadora da Solides. Graduada e pós-graduada pela UFMG e FGV, com MBA em Gestão Empresarial e especialista em Inovação e Empreendedorismo pela Universidade de Stanford. A empreendedora desenvolveu a ferramenta Profiler e, como referência em Gestão Comportamental, atualmente ministra palestras e cursos por todo Brasil. Também é vencedora do Prêmio Mulheres Notáveis, na categoria Tecnologia.