A Jovens Gênios, empresa acelerada pela SEVNA Startups, acaba de captar R$ 200 mil após uma rodada de investimentos pré-seed – etapa que acontece depois que a empresa já recebeu investimento-anjo. A startup oferece recursos digitais de aprendizagem para escolas, com base no aprendizado individualizado e ludicidade, e pretende direcionar o investimento para ampliar a equipe na área comercial e tecnologia, marketing e automatização de processos.

Bernard Caffé, cofundador da empresa e diretor de Expansão e Novos Negócios, explica que os investimentos têm origem em seis fontes diferentes. “Na Campus Party Brasil 2019, fizemos uma parceira com o cofundador da CriaBiz, Christian Pensa, para nos ajudar na captação de recursos. Com os dois investidores que ele trouxe, estruturamos a rodada e usei a minha rede para ofertar a proposta para outros investidores. Através disso, eles tiveram mais segurança e apostaram no produto que desenvolvemos”, diz.

Atualmente, a Jovem Gênios, que tem sede no Hangar, um Hub de Educação no Rio de Janeiro, está presente em 17 escolas e conta com uma base mais de 3 mil alunos, que já fizeram mais de 1 milhão de questões em apenas seis meses de uso da plataforma.  “Nossa meta para o final de 2019 são 100 escolas pagantes, uma base de mais de 15 mil alunos para aprimorar a nossa inteligência artificial com mais dados estatísticos e a criação de novos conteúdos”, ressalta.

Diferenciais

Michelli Maldonado, Doutora em Matemática Aplicada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) e Professora de Graduação da Universidade Federal do Triangulo Mineiro, é uma das investidoras e explica que a equipe à frente da startup foi um dos principais motivos que a levaram a definir pelo investimento. “Gostei muito da equipe, eles estavam realmente muito dispostos. Além disso, quando eu vi o algoritmo que eles utilizam, percebi que poderia contribuir diretamente para melhorar a solução, já que o algoritmo trabalha com técnicas de estatística que é a minha área de atuação. Deu match!”, brinca.

Ela, que também é empreendedora, enfatiza que vem estudando a possibilidade de investir em startups há algum tempo, entretanto, não tinha, até conhecer a Jovens Gênios, tido contato com uma empresa que a motivasse a investir. “Nunca me senti à vontade em investir em uma empresa onde eu não pudesse contribuir além do dinheiro. E a Jovens Gênios é uma oportunidade de contribuir também com a expertise.  Acredito que o algoritmo que eles têm que individualiza o aprendizado, além da inteligência envolvida, são grandes diferenciais frente ao mercado” diz.

Michelle enfatiza que como investidora, um dos seus principais olhares está voltado para a equipe. “Uma boa ideia sem uma equipe boa para tocar é só uma boa ideia. E a Jovens Gênios conta com uma equipe de ótimos executores dessa boa ideia. Só por eles já vale a pena investir”.

Investidores

Além de Michelle, a Jovens Gênios também recebeu aportes financeiros de Christian Pensa (investidor anjo e fundador da CriaBz); Gabriel Gomes (gerente de Originação de Negócios do BNDES);  Marcelo Rocha  (investidor anjo na Anjo Verde, ex-diretor da F2C Hitachi e ex-consultor Oracle);  Paulo Ricardo Stark (Senir Strategic Advisor na BirminD e Liven e ex-CEO Siemens Brazil);  – João Daniel Almeida (Fundador do Curso Clio e Professor de graduação da PUC-RJ); e,  Carlos Barreiros (Diretor de Comunicação da CNI e ex-VP&General Manager da PepsiCo).

Startup

 A plataforma oferece seis opções de utilização como, por exemplo, a aula gamificada, para dinamizar a aula em determinado tópico; tarefas de casa, onde o professor escolhe atividades da plataforma, passa para os alunos resolverem em casa e acompanha o desempenho; e, exercícios em sala de aula, quando o professor escolhe exercícios e acompanha em tempo real as necessidades de cada um.

Além disso, há opções de sala de aula invertida, em que o aluno estuda o conteúdo antes da aula; aula avaliativa, que consiste em um teste aplicado aos alunos para que o professor saiba em quais tópicos passados há maiores dificuldades; e reforço escolar, recurso que, através dos algoritmos de Machine Learning, identifica as principais necessidades do aluno e elabora planos de estudos personalizados com as atividades que ele mais precisa.

Foto: Fernando Costa e Bernard Caffé, diretores da startup