*Por Anjos do Brasil

O ecossistema empreendedor no Brasil, nos últimos anos, não contava com a presença de um player: grandes corporações. Para favorecer a inovação, o conceito de Corporate Ventures surgiu quando organizações de grande porte sentiram a necessidade de inovar em uma velocidade maior do que sua estrutura organizacional permite e hoje, é a expressão utilizada para caracterizar qualquer esforço de uma corporação que busca inovação de um modo mais barato e rápido para criar novas iniciativas empreendedoras. Basicamente, Corporate Ventures caracteriza o investimento de empresas (geralmente de grande porte) em projetos nascentes, com base em iniciativas internas ou externas, que possuem alto potencial de crescimento e o objetivo de gerar inovações para o negócio da empresa investidora.

O conceito de Corporate Ventures é bem mais amplo do que o investimento em startups e se aplica, também, na ajuda através de espaços cedidos, colocando sua marca com base em alguma parceria e até mesmo dispondo seus canais de distribuição, que nesse caso, consiste no modelo Corporate Venture Externo (CVE). Existe, também, o Corporate Venture Interno (CVI), que aposta na ideia de funcionários através de um spin-off e cria uma nova empresa dentro do grupo, que nesse caso, nasceu nas mãos de um funcionário. O momento em que as empresas assumem o papel de investidoras e procuram negócios emergentes dentro de suas estratégias corporativas, é conhecida e denominada de Corporate Venture Capital (CVC), onde se coloca dinheiro para comprar parte de suas ações. Em todos os casos, cada um dos modelos (CVE, CVI e o CVC) tem como propósito a criação de novos negócios, isolados da organização, a partir de ideias baseadas em oportunidades identificadas.

Enquanto Corporate Venture trata de organizações que querem inovar de um modo rápido para criar novas iniciativa empreendedoras, Scale-ups é o termo utilizado para startups que passam por todos os percalços até atingir um estágio de desenvolvimento mais avançado, ou seja, é a versão madura da startup onde a mesma tem a capacidade de crescer de maneira contínua. Quando a startup passa por esse processo, é chamada de scale-ups, nesse momento ela possui um modelo de negócio escalável, inovador e de crescimento acelerado.

A aproximação das Grandes corporações com iniciativas como Corporate Venture e Scale-ups, abre caminho para novas parcerias, contratações e investimentos, o que pode se tornar fundamental para a sobrevivência do negócio.

Você tem uma startup que ainda está nesse processo de desenvolvimento, precisa de algum aporte para desenvolver melhor sua ideia após o MVP e não sabe por onde começar? O melhor lugar para buscar investimento anjo é nas redes de investidores anjo organizadas. Elas agregam mais valor e tem boas práticas que fazem com que o processo funcione melhor. A Anjos do Brasil recebe projetos em busca de investimento anjo durante todo o ano, cadastre o seu através do link.