* Por Leonardo Pallotta

Hoje vamos falar de Emojis.

Emojis são divertidos, não são? Eles dão cor, diversão e uma pitada de personalidade para a comunicação digital. Enfeitam posts, transmitem mensagens e emoções, muitas vezes, melhor que palavras.

Você já viu no Facebook, Twitter, WhatsApp, Instagram, enfim, em todas as mídias sociais. Agora é possível ver também em lugares offline, como em anúncios, objetos, e até em filmes, quem diria…. O propósito dos Emojis evoluiu muito além de adicionar personalidade às mensagens nas redes sociais. Eles são um fenômeno cultural completo.

A questão que muitas empresas estão se perguntando agora é se faz sentido usar Emoji em sua própria publicidade. Especificamente, elas gostariam de saber como o uso afetará o profissionalismo percebido ou os esforços de branding e de posicionamento de marca.

Quando usado de maneira correta, pode ajudar a tornar as postagens de mídia social da empresa mais agradáveis e convidativas. Se usados de maneira incorreta, podem passar uma mensagem errada e desastrosa. Por isso, compreender esse tipo de recurso de comunicação é fundamental para não cometer uma grande gafe.

Os Emojis surgiram como meio de comunicação no final dos anos 90 por uma empresa de telefonia móvel japonesa. A tendência pegou rapidamente lá fora e chegou ao Brasil. Hoje, eles são uma parte quase universal da cultura popular e da comunicação nas mídias sociais. Mas, será que esses pequenos símbolos podem realmente fazer diferença para as marcas? Vários estudos apontam que sim. Eles impactam nas estratégias de longo prazo.

É fato que os Emojis são valiosos para manter no leque de ferramentas de marketing. Eles aumentam o engajamento, humanizam a marca e ampliam a comunicação além das palavras. Mas, como usar esse tipo de linguagem visual?

Vamos falar de estratégia:

Emojis em mídias sociais 
É fácil usar um Emojis ou dois em um tweet ou comentário no Instagram, e você deveria. Mas, como aproveitá-los para impulsionar intencionalmente engajamento, cliques e conversões? A resposta é simples: incentive o público a usar também. Isso ajuda a aumentar o engajamento geral.

Emojis em publicidade
A publicidade é tão voltada ao público, quanto as mídias sociais. No entanto, é mais formal e muito mais cara. Por essa razão, as empresas têm adotado mais lentamente os Emojis em seus esforços de publicidade. Porém, já conseguimos ver empresas, cujo público-alvo é formado por jovens, utilizarem as imagens de maneira intensa para se comunicarem.

Emojis em e-mails
E-mail marketing deve ser personalizado para seu destinatário. Por causa disso, os Emojis devem ser usados com moderação e somente quando houver certeza de que o público responderá a eles positivamente. Por exemplo, não recomendo usá-los em uma primeira comunicação para clientes, como em mensagens de “Bem-vindo!” ou “Você deixou algo no seu carrinho!”. Esses consumidores podem não estar familiarizados com a marca e estranhar a forma de linguagem.

Os Emojis usados no “assunto” do e-mail funcionam cerca de 60% das vezes. Resumindo: eles aumentam as taxas de abertura. Use com moderação em linhas de assunto e escolha aqueles que sejam relevantes para a marca ou para a mensagem.

Para terminar, compartilho algumas dicas de como utilizar Emojis em estratégias corporativas de comunicação:

  1. Certifique-se de que faz sentido –Os Emojis servem para complementar uma mensagem ou expressar um sentimento em poucas palavras. Isso não acontecerá se eles não fizerem sentido.
  2. Tome cuidado em situações sérias –Emojis são divertidos, legais e modernos. Mas não combinam com tudo. E nunca devem ser usados em algo extremamente sério.
  3. Não force a barra –Emojis devem ser uma extensão das expressões normais e, como tal, não devem ser usados de maneira forçada. Pense nas conversas rotineiras nas mídias sociais. Colocamos ‘piscar’ para provocar e ‘sorrir’ para dizer que estamos felizes. A aplicação dos Emojis precisa ser natural quando o uso é também para fins comerciais. Vá nessa linha: se não consegue pensar em qual Emoji usar para um determinado post, não precisa de um.
  4. A mensagem da marca é mais importante –Os Emojis nunca devem afastar as mensagens da marca. Isso significa que, se for administrar uma empresa de serviços financeiros, provavelmente deve evitar Emojis que envolvam explosivos.
  5. Não fique maluco –Como regra, não use mais de quatro imagens por vez. Caso contrário, o público poderá ter um caso grave de sobrecarga de Emojis.
  6. Saiba o significado- Um Emoji com uma interpretação errada pode gerar uma grande confusão. Pesquise antes de enviar. Use com parcimônia.

Leonardo Pallotta é líder da Hi Academy, primeira escola de customer care do Brasil, da maior plataformadigital de atendimento ao consumidor – a Hi Platform. Formado em Administração pela Universidade Mackenzie e pós-graduado em Marketing pela Universidade Insper, atua com marketing há mais de 15 anos. Desenvolveu planejamento estratégico digital, gestão de mídias sociais e campanhas de mídia de performance para grandes companhias brasileiras.  É professor de cursos livres e pós-graduação no Centro Universitário Belas Artes, SENAC e FIA Business School.