A Associação para Investimento de Capital Privado na América Latina (LAVCA, em inglês) apresenta hoje os resultados da Pesquisa Inaugural de Startups Latino-americanas. Dentre os principais resultados está a criação de empregos através das startups latinas, que chegaram a mais de 25 mil. A pesquisa foi financiada pelo Facebook.

A pesquisa captura insights importantes de 227 startups, com 88% de respostas vindas de fundadores e executivos em cargos de chefia. A maioria das startups participantes obtiveram de US$ 500 mil a mais de US$ 100 milhões em financiamento. Realizada no 4º trimestre de 2018 , as startups foram avaliadas pela equipe de pesquisa da LAVCA em uma variedade de fontes primárias e secundárias.

“Esta pesquisa estabelece uma linha de base de informações críticas em um ponto de inflexão para o ecossistema empreendedor e tecnológico da América Latina”, disse Julie Ruvolo, diretora de capital de risco da LAVCA.

Os principais destaques da pesquisa incluem:

  • Criação de empregos: As startups latino-americanas participantes criaram mais de 25 mil empregos em tempo integral. As startups que levantaram um mínimo de US$ 500 mil de investimento criam uma média de 129 empregos em tempo integral cada, sendo que quatro a cada cinco desses funcionários têm como base cidades na região.
  • Experiência do empreendedor: 66% dos fundadores participantes já abriram mais de uma empresa; 59% dão mentoria a outras startups.
  • Receitas: 89% das startups apresentaram crescimento positivo da receita líquida em 2017-2018.
  • Mercados secundários:
    1. As startups mexicanas atendem a um mercado diverso na América Latina e no mundo, identificando operações e atividades no Brasil, Argentina, Colômbia, Peru, Estados Unidos e Ásia.
    2. As startups chilenas identificam o Brasil, México e Peru como importantes mercados secundários.
    3. As startups argentinas identificam o Brasil e México na liderança dos mercados secundários.
    4. Já as startups brasileiras atendem principalmente ao mercado brasileiro, com Argentina, Chile, México e Estados Unidos como distantes mercados secundários.
  • Tecnologia de ponta: 73% das startups em todos os setores estão usando alguma forma de big data, machine learning ou inteligência artificial.
  • Impacto: 59% das startups mensuram algum tipo de impacto; criação de empregos e inclusão financeira estão no topo da lista.
  • Diversidade: 29% das startups disseram que atingiram a paridade de gênero em sua força de trabalho.

“Estamos vendo uma nova geração de empreendedores latino-americanos que sonham alto, executam com excelência e constroem empresas incríveis e de alto impacto”, disse Nicolas Szekasy, membro do conselho da LAVCA, gerente de parceiros da KaszeK Ventures e cofundador do Mercado Livre. “Os próximos 20 anos parecem ainda mais brilhantes. Estamos em um ponto de inflexão na região, à medida que os padrões de tendências tecnológicas, a profundidade dos talentos, os fluxos de capital e histórias de sucesso alimentam e aceleram esse ciclo virtuoso”.

“Estamos felizes em fazer essa parceria com a LAVCA para trazer esses insights que confirmam que o ecossistema de tecnologia está florescendo na América Latina. O Facebook está comprometido com seu crescimento ao fornecer recursos e ferramentas para inovadores locais. Estamos construindo um ecossistema sustentável que moldará futuro da região”, disse a líder de parceria de produtos do Facebook para a América Latina, Susana (Tuli) Cipriota.

O Facebook é membro da Coalizão de Crescimento Tecnológico da América Latina, um grupo de empresas líderes globais e locais de tecnologia e investidores com o objetivo comum de promover startups de alto crescimento.