*Por Elber Mazaro

Vamos iniciar a série de artigos sobre Liderança e Gestão de Pessoas, com o que talvez, seja o tema mais “batido”: as competências a serem desenvolvidas por um bom líder.

Apesar de ser um tema comum, acredito que trago aqui, uma abordagem própria, prática e que poder ser memorizada facilmente.

Iniciamos, lembrando que a liderança é essencial para o sucesso de organizações, empresas, startups e mesmo em projetos não profissionais.

Atualmente, é fundamental para qualquer organização, de qualquer tamanho, possuir líderes que possam trabalhar com times e gerar resultados, com e através das pessoas. Especialmente empreendimentos que apresentam um forte crescimento.

A liderança faz parte do capital intelectual e humano da empresa, e tem um papel importante na valorização destes. A quantidade de líderes e a competência/capacidade (qualidade) destes, influencia até nos momentos de investimentos, sociedades e parcerias, como outros ativos intangíveis (marcas, patentes, cultura…).

A gestão do capital humano, o maior ativo das empresas, precisa ser executada por pessoas preparadas em vários níveis, para gerar impactos de produtividade e competitividade, principalmente na prestação de serviços.

Os líderes são os condutores do negócio e levam este ao destaque, à competitividade, à inovação e guiam todas as transformações necessárias para acompanhar o mercado, o ambiente e até os clientes.

Existem dezenas de competências que podem ser consideradas e desenvolvidas por um bom líder, e todas as combinações destas competências são válidas.

Segundo um estudo apresentado pelo líder de uma das maiores empresas de recrutamento de executivos no mundo, um ótimo líder reúne algo entre 20 e 25 competências positivas, dentre quase uma centena de possibilidades.

As atitudes e comportamentos negativos podem destruir a confiança, portanto deve-se ficar atento, não só ao desenvolvimento e a utilização de competências e habilidades positivas, mas também àqueles hábitos negativos, onde “uma pisada na bola, pode por tudo a perder”.

Minha abordagem, considera três categorias de competências com três habilidades agregadoras, para simplificar e facilitar o desenvolvimento de líderes, inclusive melhorando a memorização destas.

As habilidades da liderança a serem destacadas, em três grupos, são:

  1. Liderança de Si;
  2. Liderança da Organização e;
  3. Liderança de Pessoas.

Primeiro, a pessoa deve buscar ser Líder de Si, através do autoconhecimento com ênfase nas fortalezas e emoções; do know-how com aquisição e desenvolvimento do capital intelectual e social (individuais); e por fim de atitudes exemplares, em especial: humildade e pró-atividade.

Uma vez Líder de Si, o profissional estará em condições de ser um Líder da Organização, com a vontade / paixão de fazer a organização ser líder na sua área de atuação, também. Pensamento e comportamento de dono, resumem o perfil do Líder da Organização, traduzidos na construção e comunicação de uma visão com propósito, de planos com objetivos claros para todos os stakeholders, e com uma ação empreendedora exemplar.

Concluindo, o líder de Pessoas (terceira categoria de competências), depende do time e das pessoas que fazem parte de organização. A emoção é o que toca as pessoas, portanto o Líder de Pessoas deve exibir as competências de confiança em si mesmo e nos demais, antes de esperar que confiem nele(a), também deve ter coragem para agir, mudar e tomar riscos, aceitando as falhas e encarando os conflitos e crises; e finalmente deve ter coração para exibir empatia e efetivamente realizar o reconhecimento dos indivíduos e grupos da organização.

As competências da liderança, são talentos, habilidades, práticas e atitudes que podem ser desenvolvidas e demonstradas por qualquer um, em qualquer posição, em qualquer momento, em qualquer lugar.

Liderança não é algo nato e que está restrito a poucas pessoas que tem o dom. A liderança pode e deve ser aprendida e desenvolvida por todos.

Todos os especialistas no assunto apontam que a liderança não está relacionada a um cargo no organograma, apesar de ser cada vez mais esperado que diretores e gerentes ajam como líderes, mas a cada situação ou momento, há oportunidade para qualquer pessoa assumir e exercer a liderança, tanto em questões profissionais, como no dia-a-dia de nossas vidas.

Existem muitas oportunidades, todos os dias, para a liderança criar impactos positivos em pessoas e organizações, desde os pequenos atos de uma rotina.

A liderança não é algo baseado em personalidade e sim em comportamento. Liderança é relacionamento.

Lembre-se, liderança é ação, então mãos-a-obra.


Elber Mazaro - Espaço do Executivo

Elber Mazaro é assessor/consultor, mentor e professor em Estratégia, Tecnologia, Marketing, Carreiras/Liderança e Inovação/Empreendedorismo. Atua há mais de 25 anos no mercado, liderando negócios no Brasil e na América Latina. Possui mestrado em Empreendedorismo pela FEA-USP, pós-graduação em Marketing e bacharelado em Ciências da Computação.