* Por  Felipe Costa

Quem é a maior liderança na série Game of Thrones? Mesmo que você seja um grande fã da história, dificilmente conseguirá responder esse questionamento sem pensar bastante. Afinal, desde Ned Stark até o Chefe dos White Walkers são líderes dentro da história, pois ambos comandam equipes e exércitos.

O fato é que GOT está na sua última temporada e a única certeza que fica é que a série deixará saudade. Mas enquanto o inverno não chega, que tal observar alguns desses magníficos personagens de outro ângulo?

A Robert Half, empresa de recrutamento, fez uma análise de como seriam os personagens de Game of Thronesno mercado de trabalho em uma posição de liderança. Confira abaixo:

Jon Snow

Jon Snow é o personagem que teve maior desenvolvimento durante a história. Apresentado no primeiro episódio como o “filho bastardo” de Ned Stark, a sua jornada seguiu até se tornar o Rei do Norte e aspirante direto ao Trono de Ferro.

Durante a sua empreitada, Snow ingressou como membro da Patrulha da Noite, entrando como um soldado e, futuramente, se tornando o Lorde Comandante. Como chefe maior dos Guardiões da Muralha, Jon Snow se mostrou um verdadeiro líder, se colocando como exemplo prático em vez de apenas delegar ordens.

Porém, ao seguir seus ideais cegamente, ainda que nobres, o Lorde Comandante Snow deixou de ouvir os seus liderados e acabou sendo traído. Todavia, em um belo plot twist da série, Jon retornou e puniu aqueles o traíram. Mais à frente, reconquistou o castelo da família, Winterfell, e se sagrou como o Rei do Norte.

  • Jon Snow em uma liderança corporativa

Jon Snow demonstrou ser um líder nato, alguém que sabe comandar grandes equipes por meio de exemplos práticos e discursos motivadores. Seria uma ótima escolha para empresas que contam com colaboradores acomodados ou desanimados.

No entanto, também apresentou uma autoconfiança acima da média, deixando se levar por uma certeza. Um tipo de pecado que pode ser prejudicial no mercado de trabalho, pois faz com que o líder perca a noção de realidade.

Daenerys Targaryen

Assim como Jon Snow, Daenerys é outro personagem em pleno desenvolvimento ao longo da série. No início da história, a jovem Targaryen nada mais é do que uma moeda de troca para que o seu irmão, Viserys, consiga um exército de lutadores.

Porém, ao ganhar três ovos de dragões de presente de casamento, a vida de Daenerys muda para sempre. Conseguindo “dar vida” a seres considerados extintos, Daenerys se torna a Mãe dos Dragões e começa a sua jornada rumo à conquista do Trono de Ferro.

No caminho, ela liberta e comanda exércitos de escravos e mercenários, além de trazer para o seu lado pessoas que já foram importantes para o Reino, como o Sir Jorah Mormont.

  • Daenerys como líder empresarial

A “Mãe dos Dragões” nunca se mostrou uma líder natural, sempre necessitando da participação de outros em suas decisões. No entanto, ela apresenta uma empatia por seus comandados que é muito importante em um mercado exigente.

Possivelmente Daenerys teria dificuldades em comandar grandes equipes, traçar planos ou metas claras. Todavia, conseguiria conquistar facilmente a confiança dos seus liderados e convencê-los a se engajar aos objetivos da empresa.

Sansa Stark

Sansa Stark sempre foi a garota dependente e de pouca personalidade. Acreditava que nasceu para se casar com um príncipe e se tornar uma futura rainha. Contudo, mesmo diante dos obstáculos, continuou acreditando nessa verdade.

Após ter a sua família quase toda destruída, Sansa foi desprezada pelo Rei Joffrey e se viu forçada a casar com Ramsey Bolton. Ao ser salva por Theon Greyjoy, se tornou a Lady de Winterfell com a ajuda do seu meio-irmão Jon Snow.

  • Sansa como líder corporativa

Ainda que aparente uma personalidade pouco contundente, Sansa Stark sempre demonstrou vontade em conquistar seus objetivos, mesmo ignorando muitos fatores do cenário a sua volta para isso.

Em um mercado extremamente competitivo, Sansa demoraria a se encontrar como líder, sendo preciso um tempo maior de adaptação para começar a gerir a sua equipe.

Arya Stark

Arya Stark sempre foi o oposto da sua irmã Sansa. A garota acreditava que podia construir a sua própria história e não seguir o que outras pessoas já tinham pré-determinado.

Com garra e até mesmo um pouco de rebeldia, Arya aprendeu a lutar e a usar uma espada. Com a queda da sua família, a pequena Stark caminhou com o ‘Cão de caça’ até se desgarrar e chegar à Casa dos Homens sem Rosto. Ao obter novos conhecimentos, ela decidiu que estava pronta para vingar os membros caídos da Casa Stark.

  • Arya como líder no mundo corporativo

Arya seria vista como uma líder fora do convencional, com ideias próprias de crescimento. Esse conceito se mostra arriscado em um mundo tão sistemático quanto o corporativo, mas que poderia funcionar em empresas que abraçam a individualidade de seus profissionais.

Porém, com uma personalidade mais solitária, a líder Arya teria dificuldades em se relacionar com seus comandados e assegurar um clima organizacional harmonioso e efetivo entre todos.

Brandon Stark

Brandon Stark é mais um que teve a sua vida mudada graças às situações pontuais que aconteceram no decorrer da série. O garoto, que estava destinado a ser um lorde Stark, viu tudo mudar quando foi empurrado de uma torre e se tornar paraplégico.

Desde então, Bran se tornou uma pessoa ressentida e fechada, tendo como o único objetivo se tornar o novo “Corvo de Três Olhos”. Com essa missão em mente, Bran demonstra um grande desapego a sua família e amigos, ainda que necessite deles, focando apenas na conclusão da sua jornada.

  • Bran como uma liderança empresarial

Bran é o tipo de líder que nunca pediu para ser algo do tipo, o típico profissional que deseja unicamente seguir o curso da história e conseguir uma estabilidade financeira. Porém, por interferências internas e externas é alçada a um cargo mais importante.

A grande dificuldade para esse perfil de líder é que ele não apresenta a espontaneidade ou características de um comandante, se isolando muitas vezes e sendo pouco ouvinte com seus liderados.

Cersei Lannister

Assim como Arya Stark, Cersei Lannister sempre acreditou que poderia ser mais do que simplesmente a esposa de um nobre. Com ambições que pareciam inalcançáveis, a única filha de Twin Lannister sempre trabalhou nas sombras para obter mais do que a vida lhe oferecia.

No entanto, a ambição a levou em uma jornada de erros, tendo como consequência a perda dos três filhos e um amor proibido com seu irmão, Jamie. Ainda assim, Cersei nunca se deu por vencida e se consagrou como a Rainha do Trono de Ferro.

  • Cersei no mundo corporativo

De todos os personagens citados, Cersei Lannister, provavelmente, é a que teria a ascensão mais rápida. No entanto, é aquela também que teria o prazo de validade mais curto. Na vida real, quem comete tantos erros não consegue se manter no topo por tanto tempo.

A Cersei é o tipo do profissional que se empenha ao máximo pelo objetivo, mas que ignora avisos e cuidados que surgem ao seu redor. Além disso, demonstra um tipo de liderança “ferro e fogo”, um conceito ultrapassado e malvisto por muitos. Em longo prazo, certamente perderia espaço junto aos seus liderados.

Jamie Lannister

Irmão gêmeo de Cersei, Jamie é o tipo de pessoa que podemos classificar como bipolar. Ao mesmo tempo em que demonstra ser um homem correto e companheiro, é capaz de cometer atrocidades sem pensar duas vezes.

Tem um relacionamento amoroso com sua irmã e é pai dos seus três filhos, mas nunca pôde assumir o seu papel de progenitor. Ao longo da série teve um crescimento, mas sempre apresentou recaídas quando estava próximo de Cersei.

  • Jamie como líder no mundo empresarial

Jamie seria o tipo de profissional que ganharia a plaquinha de ‘funcionário do mês’, mas que na prática pouco fez para merecer o seu reconhecimento. Como líder, conseguiria a empatia da equipe e provavelmente conquistaria algumas metas, até que a sua própria arrogância se demonstrasse o maior dos obstáculos.

Tyrion Lannister

O mais cerebral dos Lannisters, Tyrion sempre foi o patinho feio da família. Sendo anão, ele contraria o perfil dos seus parentes, que foram conhecidos como os “mais belos dos Sete Reinos”.

Por ser o rejeitado, Tyrion esteve em constante conflito com o seu pai e a sua irmã e se viu obrigado a viajar pelo mundo. Aliou-se a Daenerys e resolveu que o Westeros merecia um rei melhor do que todos os outros que já haviam passado pelo Trono de Ferro.

  • Liderança corporativa de Tyrion

Como um profissional bastante analítico, Tyrion não teria dificuldades para chegar ao cargo de liderança e comandar outros colaboradores. Criação de metas, estudos dos KPIS etc., todos esses pontos seriam muito bem desenvolvidos pelo Lannister.

Tyrion é muito bom para dar ordens e também é efetivo na execução, mas peca em não prestar atenção ao jogo político contra ele, e sempre sofre as consequências disso. A liderança em forma de exemplo é um dos pontos fortes desse tipo de profissional. No entanto, sua autoconfiança o deixa meio cego para determinadas atitudes do seu próprio grupo, pares e concorrência. Ele foca no objetivo, mas sozinho ele não fará nada. Ele precisa olhar para o lado e saber quem realmente joga no time dele.

Samwell Tarly

Samwell Tarly poderia ser facilmente o “amigão da vizinhança”. O personagem apresenta características parecidas com Peter Parker, o Homem-Aranha, e sempre está disposto a ajudar seus amigos e pessoas desconhecidas.

Por não ser o “filho ideal”, Sam foi parar na Patrulha da Noite e se juntou a Jon Snow para combater os Selvagens e os White Walkers. Nessa jornada, conheceu a jovem Gily e a pediu em casamento. Com a morte do antigo Meistre, ele ganhou um novo cargo e resolveu viajar para outra cidade a fim de se especializar e ajudar seus irmãos da Patrulha da Noite.

  • Samwell Tarly como líder corporativo

Sam é o típico profissional que é alçado como líder por indicação de seus próprios companheiros. Sempre altruísta, é um comandante que desperta a simpatia dos seus liderados e os motiva com a sua presença.

É provavelmente o personagem que teria mais sucesso no mundo corporativo, pois além da aprovação das pessoas ao redor, tem a consciência de que é preciso sempre se aperfeiçoar para desenvolver um trabalho diferenciado.

Embora sejam pessoas fictícias, é possível visualizar nas personagens de Games of Thrones atitudes e personalidades reais em muitos casos. Por isso, reflita sobre tudo o que foi apresentado neste texto e se empenhe para ser sempre melhor na sua área.

* Felipe Costa é Engenheiro e Recrutador da Robert Half International.