* Por Danilo Nascimento

O uso da tecnologia se faz cada vez mais presente em diversos setores da economia e no varejo não poderia ser diferente. A quantidade de informações disponíveis é cada vez maior e a sua análise é imprescindível para o sucesso das companhias. A análise qualificada e produtiva desses dados torna-se viável por meio de ferramentas de Big Data e inteligência analítica.

Este cenário passou a ser conhecido no setor como a Nova Era do Varejo, que se baseia em oferecer um atendimento e relacionamento personalizados para os seus consumidores ao mesmo tempo que proporciona, para o varejistas, instrumentos para evolução de vendas e rentabilidade. De acordo com um estudo realizado pela Applause, líder mundial em testes de multidões e qualidade digital, 91% dos consumidores estão mais propensos a comprar de empresas que lembram deles e são capazes de oferecer recomendações e ofertas relevantes. Outro estudo feito pelo Google mostra que uma em cada três pessoas espera recomendações de produtos personalizados de acordo com o seu perfil de compra.

Assim, percebe-se que a personalização da oferta de produtos e do atendimento é um meio de reconhecer que o cliente é único. Tal processo funciona como o alicerce para uma experiência consistente do cliente e fortalecimento da marca. Um levantamento realizado nos Estados Unidos pela Segment, empresa que ajuda a rastrear e consolidar os dados dos consumidores para entregar melhores produtos, serviços e experiências, com mais de mil consumidores mostra que 49% compraram itens que não pretendiam adquirir por causa de recomendações personalizadas da marca com quem mantêm relacionamento.

Com base nestas informações, podem-se identificar diversos benefícios que as empresas experimentam ao se valerem da personalização das ofertas e da aproximação com os clientes. Dentre eles, se destacam:

Aumento do faturamento da empresa: 40% dos consumidores americanos afirmaram que o atendimento personalizado fez com que eles comprassem algo mais caro do que pretendiam;

Reduz o volume de devoluções: Somente 5% das compras por impulso foram devolvidas quando o cliente recebeu atendimento personalizado e 85% ficaram felizes com o que compraram;

Aumenta a fidelidade dos clientes: 44% dos consumidores entrevistados pela Segment disseram que provavelmente repetiriam a compra, depois de ter uma experiência personalizada com a marca.

Mas, para que as marcas implementem um atendimento individualizado, é preciso utilizar a tecnologia como uma aliada na hora de analisar os dados. Por meio dela é possível gerar diagnósticos e insights sobre o comportamento do consumidor e antecipar padrões. Ou seja, quanto mais informações o varejo tem sobre seus clientes, maior a possibilidade de identificar hábitos de consumo e prever comportamentos.

Por mais que todo mundo queira ser único, estatisticamente é muito provável que grupos de pessoas ajam de forma parecida e se interessem por determinados produtos e serviços. Assim, quanto maior o engajamento dos clientes com sua marca, mais dados podem ser coletados e, a partir daí, mais correlações podem ser estabelecidas.

Por fim, o varejo ideal é aquele que tem o produto que o cliente quer, na hora que ele deseja. Ele precisa oferecer experiências para ser relevante, já que o novo momento do varejo é a era do encantamento do cliente. Desse modo, abrace o uso de tecnologia para conhecer cada cliente e entregar a ele um atendimento personalizado.

* Danilo Nascimento é sócio-diretor da Propz, empresa que oferece soluções de CRM, inteligência analítica e big data que entendem, predizem e reagem ao comportamento de consumo em tempo real e de forma automatizada.