Ser mulher em um país patriarcal como o Brasil não é tarefa fácil. Imagine, ser mulher negra. Com o objetivo de reverter este cenário e garantir que as mulheres possam e devam ser consideradas para grandes cargos empreendedores, o AfroLab 2019 ganha uma edição exclusiva para mulheres negras: o AfroLab Para Elas. O projeto irá passar pelas cidades de São Paulo (SP) e Rio de Janeiro(RJ) e as interessadas têm até amanhã, 26 de abril, para fazer a  inscrição.

A metodologia do projeto contará com atividades de autoconhecimento, ciclos de imersão criativa, aprendizagem, cursos e workshops. Em 2018, foram mais de 400 empreendedores capacitados pelo projeto.

Apoiar, promover e impulsionar o afroempreendedorismo no Brasil, por meio da oferta de conhecimento e capacitação técnica, com foco em inovação e inventividade é a bandeira da Feira Preta, que em setembro  de 2018 criou uma campanha de matchfunding na plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria, em parceria com o Movimento Coletivo, plataforma de investimento social da Coca-Cola, para arrecadar R$ 127 mil.

“Com o projeto, vamos impactar diretamente mais de 100 famílias, de diferentes lugares do país. Mesmo movimentando mais de R$ 200 bilhões por ano, o empreendedor negro no Brasil recebe 40% menos que o empreendedor branco pelo seu trabalho e estamos trabalhando para mudar essa realidade fomentando o afroempreendedorismo”, explica Adriana Barbosa, presidente da Feira Preta.

O Afrolab Para Elas é uma realização da Pretahub e Instituto Feira Preta, com apoio do Sebrae-SP, Oi Futuro e parceria com o British Council e a iniciativa Negras Potências, do Fundo Baobá e Movimento Coletivo com a plataforma de financiamento coletivo Benfeitoria.

Conheça mais sobre o Afrolab para Elas no vídeo de divulgação da campanha: