Todo consumidor adora um desconto. Um bom desconto mesmo, quando o consumidor consegue ter certeza do valor original do produto e de quanto está economizando. Pesando nisso, a startup Bom Cupom espalha pelos comércios cadastrados diversos descontos, em diferentes tipos de produtos, impressos no verso da nota fiscal.

Fundada em 2017, em Niterói no Rio de Janeiro, a Bom Cupom segue a linha comercial americana, onde a prática de descontos é comum e aplicada de forma simples e direta ao consumidor. De forma que o consumidor não precise buscar por descontos, eles chegam até o cliente através do verso da nota fiscal impressa no final de uma compra. Para o comerciante também é um bom negócio, a Bom Cupom oferece a estabelecimentos bairristas, como supermercados, padarias e farmácias, redução de custo no valor da bobina onde os descontos serão impressos.

Hoje, a startup já expandiu sua atuação e conta com milhares de lojas em cerca de 14 estados brasileiros. Ao se cadastrar, o comerciante tem direito a mais ou menos 40 mil impressões de anúncios e desembolsará um valor fixo mensal de 500 reais. Atualmente a startup conta com a opção de franquia, onde o investimento inicial varia entre R$ 8 mil e R$ 20 mil, dependendo da área de atuação do franqueado. Além disso, é preciso pagar uma taxa de administração de R$ 690 por mês, podendo render até R$ 7,5 mil por mês.

Segundo Lucas Nager, fundador da Bom Cupom, um dos maiores desafios para a aplicação do conceito no Brasil está justamente na cultura do consumidor, que não tem o hábito de buscar por descontos como os americanos fazem, por exemplo. “Nos Estados Unidos, a procura por descontos se faz muito presente na cultura do povo, e aqui no Brasil ainda não. Isso não significa que o brasileiro não gosta de desconto. Muito pelo contrário, indica que os brasileiros gostam, mas não têm o hábito de procurar por eles”, explica Nager, que junto dos sócios Diego Amorim, Lucas Lessa e Rodrigo Belém criaram a Bom Cupom.

A startup ainda não recebeu investimentos externos e funciona no modelo bootstrap, ou seja, todos os recursos usados vieram do capital inicial da empresa e do que a empresa vem rendendo. Em 2019 supera os R$3 milhões com as franquias.

Para o futuro, o diretor de estratégia e marketing da Bom Cupom, Rodrigo Belém, diz que eles estudam a criação de um aplicativo ainda este ano, que centralize os descontos e ajude a torna-los a maior empresa de descontos do Brasil, que leve fomente a economia e fortaleça o consumo inteligente. “O papel é o nosso primeiro estágio, foi o modo que estrategicamente escolhemos para ramificar a empresa e conseguir mais braços e mais variedade de descontos locais. O app é o segundo estágio e será lançado ainda esse ano. Fundamos a Bom Cupom para ser a maior empresa de descontos do Brasil”, finaliza.