*Por Leonardo Rochadel

O talk que mais mexeu com o meu mindset no primeiro dia do Saastr 2019, maior evento sobre software como serviço do mundo, foi a história de Ryan Smith, que compartilhou parte da trajetória de uma das maiores aquisições globais — totalizando US$8 bilhões.

Ele negou uma proposta de aquisição por US$500 milhões e foi criticado pela imprensa. Quando, alguns anos depois, vendeu sua empresa por bilhões, foi reverenciado pela mesma imprensa que o criticou antes.

Primeira lição compartilhada: sempre demora mais tempo que o planejado. A Qualtrics levou 10 anos para alcançar US$ 35 milhões de taxa de contabilidade de retorno (ARR). Nos seis anos seguintes, alcançou US$ 300 milhões neste mesmo indicador, quando foi adquirida por US$ 8 bilhões pela SAP.

A maior crítica que Smith faz para a maioria dos fundadores e CEOs diz respeito a falta de visão de longo prazo. Essa falta de visão de longo prazo impede que se pense em empresas que duram por gerações. Ele atribui o sucesso da aquisição da Qualtrics à visão de longo prazo, chamando isso de Generational Company.

Aqueles que conhecem minha trajetória e participaram desta viagem conosco me ouviram falar algumas vezes sobre essa visão de longo prazo para criar uma companhia que exista por várias gerações. Também conversamos sobre a nossa preocupação com captable e o cuidado para manter a controle da operação com os fundadores, mesmo planejando os próximos rounds de investimento.

Outro ponto que chamou muito a atenção foi o fato de os fundadores chegarem ao momento da aquisição ainda com 45,5% das ações da empresa. A Qualtrics captou US$ 400 milhões com Sequoia (10,4%), Accel (16,4%) e Insight (15,4%). Isso se deve à visão de Generational Company que norteou a construção do negócio ao longo de 20 anos.

As palavras e a história nos levam a acreditar que estamos com o mindset correto para criar um Generational Company.

*Leonardo Rochadel participa da missão ao Vale do Silício do Startup SC, programa de capacitação do Sebrae/SC, junto a empreendedores das empresas Coblue, Conpass, Effecti, Reviewr, Simples Dental, Sizebay e WiFeed. Ele é CEO da O2Obots, startup de Florianópolis que desenvolve inteligência artificial para canais de distribuição de seguros (seguradoras e corretoras).