A Quero Educação, uma das startups líderes em tecnologia para Educação no Brasil, acaba de ampliar sua área de atuação. Atualmente, a startup conecta mais de 450 mil estudantes junto a grandes instituições de ensino superior do Brasil. Agora, a startup vai levar seu modelo para o mercado de cursos de inglês.

Por meio da nova plataforma Quero Bolsa Idiomas, os alunos encontram informações sobre cursos de inglês e instituições, além de oportunidades de bolsas de estudo de até 70%.

” A Quero Educação identificou o desejo dos brasileiros em aprender inglês e, como um marketplace de bolsas, pensou em uma proposta para suprir essa demanda. Além disso, identificamos que o mercado brasileiro de idiomas é de R$ 6 bilhões por ano, montante que demonstra o potencial do setor”, explica Marco Piacentini, gerente de Novas Verticais da Quero Educação.

De acordo com Marco, um dos objetivos é mostrar as várias possibilidades de estudar inglês, e, assim, apoiar uma decisão que pode abrir portas nos âmbitos pessoal e profissional. Ele diz que, até o momento, são 45 escolas de línguas cadastradas. Até o final de 2019, a projeção é ter mil escolas.

Para tornar o projeto possível, a companhia investiu no desenvolvimento de uma nova área totalmente dedicada à conexão de jovens e adultos que buscam instituições especializadas no ensino da língua inglesa. “Contratamos 11 colaboradores exclusivos para o Quero Bolsa Idiomas. Acreditamos no potencial estratégico da plataforma e a dedicação de uma equipe é essencial”, afirma Piacentini.

Para as escolas, a vantagem é que, além de terem uma ferramenta digital poderosa que vai ajudá-las a prospectar novos alunos, também funcionará como uma comunidade exclusiva que reunirá conteúdo de alta qualidade beneficiando todas as instituições de ensino. “A ideia é explorar o potencial desse mercado, de maneira a elevar o número de estudantes de idiomas e agregar valor às escolas.”, completa Piacentini.

Segundo Piacentini, já no primeiro ano, as projeções apontam para um impacto de mais de 15 mil pessoas e 1000 instituições. “Para os próximos três anos, objetivo é matricular mais de 400 mil alunos nas 10 mil escolas de inglês em todo o país”, diz. A previsão é que ainda no meio deste ano tenhamos outros idiomas na plataforma.