A Justto acaba de receber R$2,5 milhões do Fundo Criatec 3, criado pelo BNDES e gerido pela INSEED Investimentos. O recurso será destinado tanto para ampliação dos recursos de Inteligência Artificial e machine learning da ferramenta, quanto para marketing e vendas. Em 2018, a Justto ampliou sua atuação no mercado com capilaridade por todo Brasil, somando uma média de crescimento de 45% ao mês.

A Justto oferece o único software de automação de negociação de acordos, com um robô inteligente e alto poder de customização. A solução surgiu a partir da vivência de Alexandre e Michelle, que buscaram construir a solução para resolver as demandas de seu trabalho como advogados. Inicialmente, criaram a primeira câmara de arbitragem online do Brasil – a Arbitranet – que evoluiu para a construção da atual plataforma de automação de negociação de acordos.

O sistema da startup utiliza dados históricos de processos e a política de acordo de cada cliente para montar automaticamente uma estratégia de abordagem e acordo personalizada. A ferramenta então entra em contato com o pleiteante de forma automática (através de diversos canais como SMS, e-mail, Whatsapp, etc.), enviando ofertas e capturando contrapropostas de forma a encerrar disputas judiciais e extrajudiciais por meio de um acordo. Feito o acordo, a ferramenta gera os documentos finais para encerrar a causa, tudo de forma automatizada.

A plataforma de automação de acordos é comercializada sob o formato SaaS, em que o cliente (empresa ou escritório de advocacia) paga uma mensalidade que varia de acordo com o número de novos casos criados na plataforma e podem usufruir de toda tecnologia por ela oferecida, inclusive mecanismos de inteligência artificial que tornam as negociações mais diretas, simples e rápidas, trazendo uma gama de possibilidades para os usuários. “Víamos, como acontece ainda hoje, um mercado judicial muito desamparado de sistemas inteligentes”, conta o CEO Alexandre Viola.

Na trajetória dos empreendedores, eles já receberam aportes de investidores-anjo, da aceleradora ACE (2015) e dos investidores da Bossa Nova (2017) e a solução foi ganhando escala ano após ano, sendo contratada não só por escritórios de advocacia como Cabanellos Advocacia (RS), Pires e Gonçalves (SP), Queiroz Cavalcanti (PE) e Fragata e Antunes Advogados (MG), mas também por empresas como Banco Bonsucesso, CVC, Nestle e Yamaha.

“Com a ferramenta, fica mais fácil negociar múltiplos acordos simultaneamente com estratégia e escala. O aumento da produtividade de uma empresa que usa a Justto varia de 7 a 10 vezes”, explica Alexandre Viola, que gosta de ressaltar o potencial do software de automação de negociação de acordos: “Temos um robô inteligente e com alto poder de customização para casos de direito do consumidor e trabalhista”. Em 2017, o total negociado na Justto foi de R$172,3 milhões. A empresa estima que a economia obtida por seus assinantes passou de R$12 milhões.