Em operação desde julho, a corretora brasileira Toro Investimentos foi indicada no ranking anual das 250 fintechs mais promissoras do mundo, criado pela consultoria CB Insights. Entre os critérios considerados na análise foram determinantes a previsão de crescimento, o modelo de negócio, e o potencial de saúde financeira. As empresas listadas no ranking somam aproximadamente US$53 bilhões em investimentos desde 2013. Apenas quatro empresas brasileiras figuram neste cenário e a Toro está ao lado de Nubank, Conta Azul e Neon.

Sediada em Nova York, a consultoria de inteligência e análise CB Insights é referência no setor, destacando-se por apontar empresas com grande potencial de inovação. Para o ranking, as companhias foram escolhidas em um universo de quase 4 mil fintechs, o dobro das instituições analisadas no ano anterior.

De acordo com a análise da CB Insights, a Toroé uma das 12 fintechs de investimentos mais promissoras do mundo ao lado de unicórnios como Robinhood e Coinbase. A empresa entrou no mercado com uma forma inédita de investir na Bolsa: o cliente usa uma plataforma que segue o modelo dos e-commerces, sem homebroker, e, além disso, é a primeira corretora que só cobra  taxa de corretagem se o investidor tiver lucro. “”Estamos muito felizes com a notícia. O reconhecimento é mérito do todo o time que há dois anos abraçou o desafio de ser a primeira fintech do Brasil a construir sua própria corretora do zero. Isso nos deu liberdade para iniciar uma grande transformação na experiência do cliente.”, comenta Gabriel Kallas, sócio-fundador da Toro Investimentos.

Há cerca de quatro meses, a corretora iniciou suas atividades com um grande evento de lançamento na Bolsa de Valores de São Paulo, após receber um aporte Série A de R$66 milhões, com o objetivo de democratizar o acesso ao mercado financeiro. “Criamos a Toro com a missão de oferecer a melhor experiência digital de investimentos do mundo para todos e estamos apenas começando. Queremos ser a ponte mais fácil e democrática entre as pessoas e os melhores investimentos. Nosso foco são as milhões de pessoas que ainda não estão nas corretoras.”, pontua Kallas.