* Por Sergio Roque

Eu acredito que o bom coach é aquele que sabe fazer as perguntas certas e que o melhor processo de coaching é aquele que faz as muitas perguntas, possibilitando com que a pessoa reflita sobre as possibilidades de respostas.

Porém acredito que isso vale mais ainda ao empreendedorismo. Um bom empreendedor deve estar atento o tempo aos negócios e situações que aparecem em seu dia a dia. Ele tem que ter este olhar mais agudo a sua volta.

Deixe me dar um exemplo: estou realizando um processo de coaching para um jovem executivo, ainda finalizando seu curso de engenharia de produção. Seu objetivo é ambicioso para sua idade e posição e então chegamos à conclusão que será necessário também ser empreendedor em um ponto mais à frente de sua carreira.

Como todos jovens de hoje, ele também quer achar seu “unicórnio”. A cultura de hoje leva a todos a esta procura pela felicidade imediata, fácil e definitiva. Ela não existe.

Acredito sim que pode se pensar em estratégias de oceano azul (livro que ele está lendo e me recomendou – A Estratégia do Oceano Azul,  de Renée MauborgneW. Chan Kim, Editora Harvard Business Review, 2005), e criar novos mercados. Então disse-lhe o que tinha acontecido no dia anterior. Estava no Facebook quando alguém me adicionou. Percebi que era uma mulher lindíssima. Não tive duvidas e aceitei.

Quando abri sua página, ela vendia produtos masculinos importados e réplicas. Realmente era uma mulher linda nas fotos, extremamente sexy. Fui para o inbox e iniciamos um papo:

– Puxa achei muito interessante sua estratégia. Você usa sua beleza estrondosa para vender para homens. Achei muito boa mesmo.

Ela responde – Cara nunca disse isso aqui, mas também nunca alguém elogiou minha estratégia, eu na verdade sou homem.

Então ele me contou que já tinha o negócio há 10 anos, que as fotos eram de amigas (suspeito ser mentira), que seus contatos de fornecedores são muito bons e já estabilizados e que na verdade ele estava de saco cheio de aturar velhos safados. Faturava R$ 10 mil e ficava com R$ 7 mil de lucro mensais.

Sua estratégia anterior era ter várias páginas, chegou a ter seis diferentes, porém deletou cinco por dar muito trabalho. Descobriu na unha como fazer funcionar sua divulgação organicamente. O negócio era o fluxo. Toda segunda ele deletava mil homens e adicionava mil diferentes.

Na hora percebi um caso diferente, ilegal, mas diferente. Então lhe fiz algumas perguntas:

– Por que não criar o fluxo em seis páginas diferentes? – ao que ele respondeu:

– Sabe que nunca tinha pensado nisso, só agora me caiu a ficha.

Então lhe falei que não existe negócio sem algum problema. Todo negócio vai ter seus velhos tarados e alguns são bem mais problemáticos do que os dele.

Como ele não quis sair do anonimato, por motivos óbvios, não pode aceitar minha sugestão de fazer um processo e trabalharmos seu caso melhor.

A estratégia de usar a beleza para vender é velha, então a estratégia na verdade era usar o que chamarei de desejo oculto dos homens mais velhos de conhecer uma mulher excepcional mais jovem, os velhos tarados, que eram sua solução e seu problema.

Eu sou empreendedor. Em seguida comecei a me fazer perguntas.

Teriam outros produtos que poderiam ser oferecidos desta forma? Quais seriam as possibilidades?

Esse negócio funcionaria com mulheres que compram mais produtos deste tipo?

Se for para ser ilegal por que não ter 50 páginas e escalar o negócio de vez?

Por que precisa ser ilegal? Não haveria uma forma de ser legal, com mulheres reais e fanpages reais?

Poderia se encaixar em um negócio de marketing multinível ou franquia sem perder o desejo oculto como impulsionador de compra?

Então comecei a pensar no que essas perguntas teriam a ensinar ao meu negócio. Como adaptar alguma parte da estratégia.

Falei ao jovem que ser empreendedor: “É isso! Se quiser aprender constantemente todo negócio deve ser visto como seu negócio”.

Temos que nos fazer perguntas todos os dias e que as respostas devem ser imaginadas dentro de nós.

Que podemos não achar o unicórnio, mas podemos ter uma porção de cavalos lindos em que colocamos um chifre.

Perguntas são base de qualquer processo bom de coaching e mais ainda em qualquer processo individual ou não de autoconhecimento. E empreendedor consciente é aquele que procura se junto com seu negócio.

Isso colocado. Perguntas?


Sergio Eduardo Roque é coach executivo e de vida com foco em processos de
autoconhecimento na SerOQue Desenvolvendo Pessoas. Com formação em
engenharia (FAAP) e marketing (ESPM) atua há mais de 25 anos no mercado como
executivo e empreendedor.