* Por Exame.com

O turismo no Brasil tem encontrado vazão de desenvolvimento econômico na atuação inovadora de startups nacionais criadas na área. Mundialmente, o fenômeno tem capacidade de movimentar mais de 5 bilhões de dólares, apenas neste ano.

No Exame Fórum Turismo, realizado no último dia 20, em Florianópolis, em parceria com o Ministério do Turismo, três empresas apresentaram como suas ideias estão captando o potencial do setor e fomentando a economia.

Primeiro, Bruno Nissental, fundador da Oktoplus, mostrou a importância da tecnologia para aproveitar os pacotes de milhas e de pontos. Em seguida, Roberta Guimarães, fundadora da GoLocal, apresentou suas propostas para desenvolver a experiências de impacto ambiental em comunidades locais.

Para terminar, Caio Martins, fundador e CEO do Instaviagem, demonstrou como uma viagem organizada com destino surpresa pode impulsionar pequenas cidades brasileiras.

“Percebemos que nosso diferencial não é nem pelo destino não conhecido, mas principalmente pelo comodismo do consumidor ter todo o roteiro já pronto. É só pegar a mala e ir”, explicou.

Oktoplus

Criada com o proposito de organizar os planos de milhas dos clientes, a startup Oktoplus busca uma solução para gerenciar saldo, status, alerta de compras e valor monetário dos pontos dos cartões de crédito.

Por meio de um aplicativo, é possível inclusive vender e comprar milhas. “Você cria um market place, onde players compram prontos e podem pegar o dinheiro para adquirir outras passagens que os pontos não são suficientes”, disse Nissental durante o evento.

Segundo ele, a principal estratégia é transformar as milhas em uma forma de moeda. “Querendo ou não ela é uma moeda virtual, que permite o participante emitir passagens, alugar veículos e quando não quer utilizar vender e embolsar o dinheiro e usar na própria viagem”, afirmou.

O aplicativo é totalmente gratuito para usar as funcionalidades. Apenas há a cobrança de uma taxa para realizar a emissão de passagens. Comparar, buscar preços e fazer orçamento é de graça.

GoLocal

Uma das tendências mais avançadas do turismo é o desejo do viajante de ter uma experiência de vida única, que encontra vazão em lugares ainda pouco explorados.

Essa é a proposta da startup GoLocal, que a bióloga Roberta Guimarães apresentou no Exame Fórum Turismo. Segundo ela, que promove viagens internacionais, o turista quer ter experiências genuínas.

“O turismo tem outras propostas diferentes e quanto mais diluído, mais a pessoa puder conhecer o país, mais ela vai derrubar preconceitos. Todo lugar tem gente fazendo coisa boa”, relatou.

Guimarães ainda afirmou que busca parceiros no Brasil para desenvolver esse mesmo trabalho. “O grande segredo é fazer parceria, que aproveite todas as partes da cadeia do turismo”, completou.

Instaviagem

A última empresa, a Instaviagem, representada pelo advogado Caio Martins, trouxe a reflexão sobre o potencial do Brasil para a área turística e como as pequenas cidades buscam oportunidades para atrair os viajantes.

“As pessoas têm preconceitos de alguns destinos, porque não imaginam que cidades pequenas podem ser atrativas para elas. Preenchendo um relatório de seus interesses, a gente define um destino de acordo com as vontades de conhecimento”, contou.

Martins apresentou também um projeto piloto da startup, que imita os parques da Disney, nos Estados Unidos. Testado em uma cidade brasileira, o turista paga no pacote já os restaurantes, bares e cafés da cidade.

“Sem precisar levar dinheiro para alimentação, ele já fica mais tranquilo e despreocupado. Fazendo com que a experiência seja ainda muito mais positiva”, afirmou.

* Por Clara Cerioni, para Exame.com