Com uma vasta experiência acumulada em seis anos de operação, a Chebante Brand Strategy anuncia uma importante mudança em seu posicionamento. A partir de agora, a empresa atuará por meio da marca Sucellose terá como objetivo macro o mercado de venture capital nacional e internacional.

“Ao longo desse período à frente da Chebante, pude notar a curva de aprendizado na evolução de organizações e suas marcas, nos mais diversos setores, no Brasil e no exterior. No entanto, é muito mais estratégico e prático trabalhar ao lado das melhores pessoas, suas marcas e o capital para levar estas trajetórias o mais longe possível. Neste sentido a criação de um método de trabalho para tornar o processo de investimento, seja por meio de M&A ou de aporte de algum fundo um legado forte e perene, gerando inteligência e riqueza para o país, fazia todo sentido no momento. Daí surgiu a Sucellos”, explica João GabrielChebante, CEO e fundador.

A empresa atua em toda a cadeia que envolve o processo de investimento em ativos, passando por Interesse Estratégico, Preparação e Prospecção, Aderência e sincronização, Avaliação (diligência), Negociação, Fechamento e Integração. Por meio de sua experiência de quase 15 anos em inteligência de mercado, a Sucellos ajuda no mapeamento do mercado atrás dos potenciais ativos, avaliação sob a perspectiva mercadológica dos melhores players presentes no mercado, auxílio no processo de mensuração de ativos intangíveis ao negócio (marca, clientela, projeção de crescimento, inovação, acesso a mercados), entre muitos outros aspectos.

“Integrar inteligência de mercado ao processo de compra e venda de empresas (M&A), bem como ao aportepara investimento (venture capital e private equity) não é uma sugestão, mas uma necessidade para tornar a operação mais assertiva a todos os envolvidos – principalmente o adquirente. Nosso processo apresenta, inclusive, os pontos nevrálgicos, como os riscos da estrutura do negócio (estrutura societária, endividamentos, produtos financeiros contratados, exposição do negócio e sócios), gerando insights realmente produtivos e que ajudem na tomada de decisão“, finaliza Chebante.