O Uber pretende que Londres seja a primeira cidade em que todos os carros do aplicativo serão elétricos em 2025, prometendo uma tarifa adicional de emissão zero de poluentes para ajudar motoristas a adotarem a tecnologia, afirmou o presidente-executivo da companhia nesta terça-feira.

Dara Khosrowshahi também disse que o Uber está aguardando informações completas sobre o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi no consulado saudita em Istambul antes de decidir se isso afetará o envolvimento de investimentos sauditas na empresa. O fundo soberano da Arábia Saudita investiu no Uber e seu diretor administrativo está no conselho de administração do aplicativo.

O Uber, que perdeu licença para operar em Londres no ano passado e só a recuperou recentemente, escolheu a capital britânica para lançar seu plano de veículos elétricos.

“O prefeito de Londres definiu uma visão ousada para combater a poluição do ar na capital e estamos determinados a fazer tudo o que pudermos para apoiá-la”, disse Khosrowshahi em comunicado.

Perguntando sobre o papel do investimento saudita no Uber após o assassinato do jornalista, Khosrowshahi disse à repórteres que “primeiro, queremos obter os fatos e então vamos determinar como avançamos, como vamos arrecadar dinheiro daqui para frente e qual será a composição da nossa diretoria após a oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês)”, se referindo aos planos do Uber de abrir capital em 2019.

Fonte: Agência Reuters