* Por Vinicius Aguiari

É sempre a mesma história. Primeiro surge uma ideia, então se constrói um MVP. Gasta-se tempo discutindo quais funções ele deve ter, quais cores usar, como deve rodar etc. E se o  produto mínimo viável funcionar bem, então segue-se em frente para construir um produto completo e estável.

O que há de errado com isso? Tudo.

Um MVP não deve ser construído para avaliar a viabilidade técnica de um produto, mas sim para validar hipóteses relacionadas ao modelo de negócio da solução.

O objetivo de um MVP é descobrir se a solução resolve um problema do mercado, se os usuários estão dispostos a pagar por ela e quanto.

Em fevereiro deste ano, a consultoria CB Insights soltou um relatório sobre a causa do fracasso de startups que se tornou referência do mercado. São eles:

  • sem necessidade de mercado
  • *fim do dinheiro
  • *time errado
  • concorrência
  • preço / custos
  • produto não amigável
  • falta de modelo de negócios
  • marketing fraco
  • ignorar consumidores
  • fora de tempo

Dos dez itens acima, acredito que apenas o fim do dinheiro disponível em caixa e o time errado não podem ser mitigados com um MVP.

Isso porque você pode estimar mas não pode prever o fluxo de caixa do seu negócio, e porque levantar uma empresa com um time é diferente de fazer um MVP com o mesmo time.

Na verdade, o seu MVP não precisa nem ser um produto. Ele pode ser apenas uma landing page, um vídeo ou um blog.

Por mais que sua intuição empreendedora te diga que você está certo – e você pode estar – , um MVP é feito para dizer que você pode estar errado e não há problema nisso.

Neste ponto, o método proposto por Eric Ries no livro “A Startup Enxuta” é praticamente científico. Científico porque sugere elaborar hipóteses e ir a campo (ou online) para validá-las, assim como teses acadêmicas. Por isso fez tanto sucesso.

Você acha que sabe o que os usuários estão precisando; como o design deve funcionar; qual estratégia de marketing usar; qual a melhor arquitetura para construir o seu produto; o modelo de negócio mais rentável e as implicações legais. Mas muitas das suas suposições estarão erradas. O problema é que você não ainda sabe quais são.

Empreender consome duas coisas muito valiosas a qualquer pessoa: tempo e dinheiro. E, em alguns casos, a terceira coisa ainda mais valiosa: saúde.

Portanto, se você não tem tempo, dinheiro nem saúde a perder, talvez seja melhor construir um MVP.

Para saber mais, leia este artigo com 15 exemplos de MVP.


Vinicius Aguiari é profissional de marketing com foco em tecnologia e inovação e praticamente de mindfulness nas horas ocupadas.