Com três anos e meio de operação, a E-Moving, startup de mobilidade urbana que aluga e vende bikes elétricas, anuncia um importante momento em sua trajetória. A empresa acaba de receber um aporte de R$3,1 milhões para ampliar a frota, melhorar a assistência aos clientes, oferecer planos corporativos e expandir o negócio para outras regiões do Brasil.

Os investidores da rodada são as empresas Movida, um dos maiores players de aluguel de carros do Brasil, e a Componente, empresa de investimentos de João Paulo Diniz. Juntas, elas aportaram R$2,5 milhões e investidores anjos complementaram o valor total. O empresário João Paulo Diniz já possui investimentos em outras empresas que atuam com foco no bem-estar e sustentabilidade, como a rede de academias Bodytech e a Soul Cycles, marca de bicicletas para lazer e performance. .

“Estamos muito honrados com o interesse de grandes investidores, como a Movida e a Componente, em nosso negócio. Isso nos mostra que estamos no caminho certo para oferecer aos brasileiros meios de transporte cada vez mais eficientes e sustentáveis. Ninguém atua nesse modelo no Brasil e estamos nos cercando de parceiros de representatividade para conseguirmos escalar ainda mais nesse mercado”, afirma Gabriel Arcon, sócio fundador da E-Moving.

O grande diferencial da startup fica por conta da capacidade das e-bikes conseguirem percorrer grandes percursos, sendo ideal para quem costuma andar de 6km a 20km por dia, com menos esforços (suor) e sem agredir o meio ambiente. Além disso, o modelo de negócios atua por meio de assinatura mensal, gerando ainda mais comodidade ao usuário.

Para João Paulo Diniz, os princípios da Componente Investimentos estão alinhados com os pilares de mobilidade e sustentabilidade da Emoving. “Após analisar vários negócios neste ano escolhemos esta empresa para investir por acreditar no seu grande potencial de desenvolvimento”, afirma o empresário.

Já Kleber Piedade, também sócio fundador da empresa, comenta o impacto do negócio no meio ambiente e na vida dos clientes. “Atualmente, já temos mais de 400 bicicletas elétricas em São Paulo, o equivalente (anualmente) a 1.500.000 km rodados, com uma redução de mais de 450 ton. de emissão de CO² na atmosfera. Isso equivale a 4,5 Maracanãs de árvores plantadas. Além disso, só de economia de tempo no trânsito, devolvemos aos nossos clientes em média 15 dias corridos por ano para fazerem o que quiserem”, completa o empresário.

A chegada dos novos investidores vem para complementar o quadro societário da E-Moving, que já conta com um parceiro de peso desde agosto de 2017, quando a empresa participou do programa Shark Tank Brasil, transmitido nos canais Sony e Band, e recebeu o investimento do Grupo SmartFit/Bioritmo, liderado pelo seu fundador, Edgard Corona.

Com o aporte, a empresa pretende ampliar de forma significativa o número de bicicletas elétricas disponíveis, além de aumentar a equipe, investir em tecnologia e acelerar o crescimento do canal corporativo, para que os clientes possam oferecer as bikes elétricas como um benefício para seus colaboradores, ao invés de vagas de estacionamento ou vale-transporte.