* Por Diego Carmona

Growth Hacking é um termo que tem ganhado cada vez mais espaço dentro das empresas por apresentar resultados extremamente relevantes para o marketing digital no mundo todo. Muito usada por startups, essa metodologia está relacionada, resumidamente falando, a estratégias que integram métricas, tecnologia, criatividade e inovação para impulsionar o crescimento de um negócio.

O profissional dessa área combina seu conhecimento técnico e analítico com a inovação para colocar em prática ações de marketing que tenham foco na expansão do negócio. Para isso, é necessário pensar fora da caixa e potencializar o uso de alguns instrumentos disponíveis na internet.

Como o profissional de growth hacking precisa saber interpretar as estatísticas e métricas que estão relacionadas aos objetivos da empresa, ferramentas como o Google Analytics, por exemplo, ajudam a direcionar melhor os esforços e acompanhar o desempenho de suas ações.

Outra solução essencial para o trabalho de growth hacking são as Redes Sociais, já que elas oferecem um potencial muito grande de alcance, compartilhamento e ainda funcionam para criar um relacionamento positivo com os clientes. Investir em um blog também é importante para uma estratégia growth. Essa ferramenta é uma forte aliada na hora de complementar ações de SEM e SEO, e para fazer a captação de novos leads. O objetivo dos growths hackers é usar esse tipo de instrumento de maneira otimizada, para aumentar a visibilidade da marca, o tráfego para o site e muito mais.

Qualquer ferramenta de teste A/B, usuais entre os programadores de sites e plataformas de disparo de e-mail, é muito bem-vinda em um planejamento de growth hacking. Isso porque, um dos papéis fundamentais dos profissionais dessa área é o de testar e aprender com as experiências e assim saber quais sãos os melhores “atalhos” para chegar ao crescimento.

Isso acontece porque o e-mail marketing tem potencial para transformar prospects em clientes e até fazer com que seus consumidores gastem ainda mais com seus produtos, por meio de conteúdos direcionados que consigam atingir seu público com a linguagem correta, no momento certo e em diferentes etapas do funil de venda.

Por fim, apesar de poder ser confundido com uma estratégia de marketing de conteúdo, a diferença é que o growth hacking vai além do planejamento sobre o tipo de material que deve ser entregue para cada público. Ele também deverá procurar alternativas para potencializar o envio de e-mails ou outras formas de contato, fazendo uso principalmente de plataformas de automação que ajudam em ações de disparo. Afinal, de nada adianta ter em mãos um lead não qualificado.


Diego CarmonaDiego Carmona é cofundador e CVO do leadlovers. Formando em Ciência da Computação, o empresário trouxe a visão do mercado de tecnologia para o segmento de marketing para criar uma plataforma inovadora para impulsionar vendas através da internet. O leadlovers é uma plataforma pioneira no país que oferece serviços completos em automação de marketing para startups, pequenas e médias empresas e produtores do mercado digital.