* Por Luiza Zambrana

É raro associarmos o Brasil como um país referência em educação, no entanto isso pode estar mudando. Hoje o país figura nas últimas posições nos rankings internacionais como o da OCDE e da Unesco, com taxas de abandono escolar que chegam a 11%. Na contramão disso, no setor da tecnologia, a educação é vista como oportunidade. Segundo dados do “Mapeamento Brasileiro de Edtechs” hoje o setor é o maior no país em volume de startups e está presente em 25 estados e no Distrito Federal.

A pesquisa vai além e mostra que 47% de todas as startups de educação oferecem serviços para a educação básica. Essa área é, não só uma das maiores fatias do mercado de educação, como também uma das grandes deficiências no país.

Como tornar a escola atraente de novo?

Segundo o relatório da OCDE o currículo escolar não atrativo e a necessidade de trabalhar estão entre as principais causas da evasão escolar. A verdade é que a maioria das escolas não inovou em seus processos e formas de ensinar nos últimos anos. A pergunta que fica agora é: será que as startups não podem ser um caminho para um ensino mais inovador e mais atraente?

Já temos algumas provas disso. A curitibana Beenoculus vem com a proposta de trazer a realidade virtual para dentro da sala de aula. Os alunos podem aprender como funciona o corpo humano imersos nele e vivenciar experiências que vão além de um vídeo ou fotos no livro. A realidade virtual não é mais algo de filmes ou de um futuro distante, podemos começar agora nas escolas a criar a educação do futuro.

Outras soluções como a Árvore de Livros nasceram para facilitar a vida de alunos e professores incentivando a leitura nos jovens através da tecnologia. A plataforma online com um acervo de mais de 10 mil livros facilita a leitura e gamefica a experiência de aprendizado, colaborando também para a rotina do professor.

O mapeamento brasileiro de Edtechs veio para mostrar que hoje temos 364 startups nos dando a oportunidade de inovar na maneira como aprendemos e educamos. Para conhecer todas essas iniciativas basta fazer download do material aqui.


Luiza Zambrana é apaixonada por transformação social. Começou sua trajetória no empreendedorismo atuando no apoio a empreendedores sociais e atualmente é analista de marketing na Associação Brasileira de Startups, entidade sem fins lucrativos que possui mais de 4 mil startups em sua base de dados e tem como missão promover o ecossistema brasileiro de startups nacional e internacionalmente.