Os fundadores do aplicativo de transporte urbano 99 lançaram nesta quinta-feira na cidade de São Paulo a Yellow, empresa de aluguel de bicicletas que não depende de estações ou locais específicos para retirada e devolução das bikes.

A capital paulista é a primeira cidade a receber o serviço criado por Eduardo Musa e por Ariel Lambrecht e Renato Freitas, ambos co-fundadores da 99, que foi vendida para a chinesa Didi Chuxing em janeiro.

O serviço permite que os usuários destravem cadeados das bicicletas por QRcode. Ao final do uso, o cliente pode deixar a bicicleta em qualquer local da cidade para que outro usuário do serviço utilize.

A proposta é diferente de serviços como CicloSampa, apoiado pela Bradesco Seguros, e o Bike Sampa, patrocinado pelo Itaú Unibanco, em que os usuários precisam deixar as bicicletas em pontos específicos ao final do uso.

Com um capital inicial de 50 milhões de reais, a empresa vem desenvolvendo desde junho de 2017 o serviço que considera uma opção complementar para otimizar o deslocamento diário das pessoas e diversificar a matriz de transporte urbano.

“A Yellow é 100 por cento financiada por fundos de venture capital, o maior fundo brasileiro, a Monashees, e devemos ter ao redor de 15 outros fundos de capital internacional”, disse Musa, que também é presidente-executivo da companhia. Ele destacou que a empresa já trabalha em um novo aporte para este ano que deve ser utilizado para expandir as operações, mas não informou o montante pretendido.

A empresa disponibilizou 500 bicicletas fixas, sem marcha, na região da avenida Faria Lima e do bairro Vila Olímpia que podem ser utilizadas por 1 real a cada 15 minutos. A Yellow planeja ter 20 mil bicicletas em circulação em São Paulo até novembro e 100 mil em 2019, incluindo regiões periféricas e outras cidades.

Fonte: Agência Reuters