Com 10% do faturamento direcionado para pesquisa e desenvolvimento, inovação é uma das três principais prioridades da Libbs Farmacêutica. A empresa tem fomentado a cultura inovadora dentre os colaboradores e estimulado parcerias com startups, iniciativa que ganhará reforço, como nos recentes contratos firmados com a incubadora Eretz.bio, da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, e com o inovaBra habitat, do Bradesco, com o qual já mantém desafios em curso.

A parceria com o inovaBra habitat começou há poucos meses, quando a Libbs passou a ter um espaço de inovação colaborativa no espaço de coinovação do Bradesco, tornando-se a primeira indústria farmacêutica presente. Lá, a Libbs lançou dois desafios a startups que também habitam o espaço. “Nosso objetivo é encontrar soluções para algumas questões de Recursos Humanos e acreditamos que esse olhar inovador das startups pode contribuir para seguirmos na busca pela inovação também nos nossos processos internos”, explica o presidente executivo da Libbs, Alcebíades Athayde Júnior.

O inovaBra habitat conta com espaços integrados para troca de conhecimentos e experiências, além de laboratórios para ideação, prototipação e testes de conceitos. Empresas, startups, investidores, mentores e educadores têm a oportunidade de trabalharem juntos, gerar novos negócios e buscar soluções inovadoras com base no networking e na colaboração.

Já a parceria com a Eretz.bio, fechada em junho, permitirá à Libbs acesso e conexão a startups voltadas para a área da saúde. Com isso, a parceria busca encontrar soluçõesinovadoras com benefício direto aos pacientes e outros clientes, tais como equipes multidisciplinares que os atendem em clínicas e hospitais. Lançada em novembro de 2017, a incubadora do Einstein é um espaço dedicado ao incentivo do empreendedorismo como forma de transformar a saúde brasileira e oferecer infraestrutura para o trabalho de startups selecionadas, que têm à sua disposição laboratórios e espaços de desenvolvimento de pilotos nas diversas unidades do Hospital Israelita Albert Einstein. As startups também têm acesso facilitado ao know-how dos profissionais e pesquisadores da organização para solucionar problemas e desafios, desenvolver, prototipar e validar seus produtos. Atualmente, a Eretz.bio já conta com 25 startups incubadas, criando soluções para diversas áreas da ciência.