* Por Nils Kauwertz

Vamos aos fatos, toda empresa busca um crescimento. E muitas já quebraram por não conseguir um crescimento constante e fixo. Principalmente em um novo negócio, afinal: O que não progride, acaba.

Geralmente a função de garantir um ritmo de vendas estável é da equipe de marketing, só que para pequenas empresas e para novos produtos isso nem sempre funciona porque os desafios são outros.
Não é tão simples; porque um novo produto precisa estruturar processos, vencer objeções de um mercado que está acostumado com as soluções que já tem.

E nesse cenário ter um profissional de marketing é ótimo, mas nem sempre é o que vai garantir um bom desempenho e resultados, mas esse problema não é tão recente,  entretanto, ele resultou em um termo que está na boca da maioria dos gestores atualmente, o popular “Growth Hacking”, e não sou apenas eu que estou dizendo, basta olharmos no Google Trends a ferramenta da Google que mostra o número de pesquisas de um tema:

Esse gráfico mostra o crescimento do volume de pesquisas por GH nos últimos anos, e podemos ver que de 2017 até hoje, esse conceito alcançou um patamar inédito.

Mas o que faz um growth hacker e qual a explicação para esse avanço?

Eu acredito que isso seja um reflexo da cultura de empreendedorismo. O profissional de growth é alguém extremamente flexível e dinâmico, ele é quem vai ser o responsável por pensar, planejar e aplicar medidas focadas no crescimento da empresa e o mais importante sem desperdiçar recursos.

O growth hacker ideal é capaz de ter uma visão 360º abrangendo tanto o mercado, produto e automação. E assim propor soluções criativas e replicáveis, que afinal é o que todo empreendedor quer.

E por mais que seja considerado uma modinha por alguns empreendedores esse profissional tem ganhado cada vez mais importância dentro da estratégia empresarial. E se você estiver pensando em contratar um profissional assim para sua empresa, aqui vão algumas dicas.

1 – O Growth hacker ideal é uma mistura de criatividade e capacidades analíticas, pessoas das áreas de engenharia, computação e marketing podem ser o encaixe perfeito para esse setor.

2 – A palavra chave é testar, testar, testar: Esse profissional não pode ter medo de arriscar, é preciso ter uma visão de que nem tudo que for experimentado trará resultados, mas que é preciso que seja feito.

3 – Fazer é tão importante quando mensurar: Testes são importantes, mas o controle do que foi feito e como foi feito é fundamental para essa função.

E uma dica extra: ainda há muitos debates sobre o foco de um growth hacker aqui no Brasil. A maior parte dos profissionais nesta área vieram do Marketing Digital e apesar disto ser positivo, às vezes gera um foco no campo de marketing. Só que para o GH ideal, tão importante quanto o Marketing é o planejamento de produto.

E assim, com a fusão dessas qualidades, surge o profissional ideal para levar sua empresa ao próximo nível. Os resultados não serão instantâneos, mas  com o tempo seu negócio vai ganhar valor real.


Nils Kauwertz, CEO & Cofundador: Apaixonado por marketing, empreendedorismo, educação e tecnologia, fundou a Wunder Digital. Acredito que a educação e tecnologia estão ligadas para revolucionar as micro, pequenas e médias empresas do Brasil. Quer bater um papo? Pode me conectar no Linkedin: Nils Kauwertz.