A escola de negócios ESPM e a ACE, empresa de investimento em startups e inovação corporativa, se uniram para criar o DB Lab (Digital Business Lab), uma experiência voltada para empreendedores em negócios digitais profissionais, que já tenham uma empresa em operação ou que estejam prestes a se dedicar integralmente a um novo negócio.

A principal novidade do curso é não ter uma proposta curricular pré-definida e única. Cada aluno terá seu currículo adaptado às suas necessidade e as do negócio, com base na metodologia de aceleração de startups da ACE.

Com o diagnóstico de seu negócio e um plano específico de competências em mãos, o aluno tem acesso a diversas disciplinas de todas as áreas da ESPM, a fim de ter experiências com impacto imediato na performance da empresa.

O DB Lab inclui formação teórica, sessões de mentoria, eventos de compartilhamento de conhecimento com executivos e empresários de sucesso, imersão em ambientes de alto crescimento e acesso a capital intelectual e networking que tendem a acelerar os resultados dos negócios.

“O DB Lab é um modelo de pós-graduação absolutamente inovador”, diz Tatsuo Iwata, pró-reitor de pós-graduação lato sensu ESPM. “Combina, em um só curso, vários modelos de aprendizagem. E está diretamente voltado a tornar viáveis os planos de negócios digitais de seus alunos.”

Além de projetos 100% digitais, empresários com propostas de transformação digital de negócios tradicionais também poderão concorrer a vagas no DB Lab.

O novo curso de pós-graduação ESPM ACE começará em 27 de agosto deste ano, terá duração de três semestres, com um total de 390 horas, e oferecerá 40 vagas.

O processo seletivo também foge do tradicional. Projeto de negócio proposto, histórico de carreira e perfil empreendedor serão os atributos com maior peso na escolha dos alunos.

Após a seleção, cada um dos alunos-empresários que formarão a primeira turma do DB Lab será apresentado a um mentor — membro dos quadros de professores da ESPM/ACE. Juntos, mentor e aluno, traçam a trilha de aprendizagem a ser percorrida durante todo o período da pós-graduação.

O primeiro semestre do curso é o mais intensivo (120 horas de duração) e tem o objetivo de elevar o patamar de conhecimento aplicável em cinco áreas: empreendedorismo, produto, crescimento, gestão e finanças.

A partir do segundo semestre, os alunos se dedicarão a definir as principais áreas de carência e alavancas de crescimento para seus respectivos projetos. Todo o conteúdo a ser adquirido é baseado em diagnósticos regulares com os mentores e pode ser transmitido, entre outros meios, em aulas presenciais ou à distância, por leituras, trabalhos e visitas a empresas.

“Um aluno poderá optar, juntamente com seu mentor, por aulas nos cursos de graduação, pós-graduação, MBA ou mestrado oferecidos pela ESPM”, diz Iwata. “A trilha de aprendizagem dentro e fora da instituição é fluída e flexível.”

No último semestre, o grupo fará imersões nos principais laboratórios da ESPM — o Media Lab, o Game Lab e o Retail Lab. Também trabalhará um período na sede da ACE, em São Paulo, e poderá participar de uma missão ao Vale do Silício, na Califórnia, berço das mais inovadoras companhias digitais.

“O grande objetivo do curso é que os alunos saiam com as habilidades fundamentais de um empreendedor e que, mesmo quem entrar com apenas um projeto, saia com sua empresa faturando”, afirma Pedro Waengertner, CEO da ACE.

Ao final do curso, com empresas e empreendedores amadurecidos, haverá uma rodada de apresentações com investidores, coordenada pela ACE. O prédio da ESPM Tech conta com um espaço de coworking, que poderá ser usado pelos alunos do DB Lab na etapa inicial de seus negócios.