*Por Elber Mazaro

Após escrever por muito tempo sobre a minha pesquisa de mestrado que gerou um modelo de Transição de Executivo para Empreendedor, sigo refletindo sobre as características do perfil empreendedor que devem ser avaliadas por quem deseja um carreira independente.

Seguindo com minhas mentorias em gestão e planejamento de carreiras e ministrando aulas em cursos de MBA e Pós-graduação, não só focadas em empreendedorismo, estou no dia-a-dia discutindo fatores relevantes para que se alcance os objetivos, que os sonhos virem metas e que existam planos para se chegar ao que se chama de sucesso.

Nesta jornada algo tem ficado cada vez mais claro: é preciso acreditar. É preciso ser um otimista, mesmo que as vezes possa ser julgado como um ingênuo.

Escrevi há algum tempo o artigo sobre o ALFREDO (Atitude, Liderança, Foco, Resultados, Empatia, Disciplina e Organização), como características as serem desenvolvidas e observadas para que um profissional possa maximizar seu desempenho e atingir êxito nos seus projetos, em especial na área de administração de empresas, o que inclui o empreendedorismo.

Agora nas minhas atividades diárias, vejo muita gente reclamando das condições, nada fáceis, éticas, políticas, econômicas do Brasil, do mercado, da crise, da concorrência, da vida em geral. Não vejo benefício algum nesta atitude.

Aqueles que realmente se movem e buscam realizações, não costumam perder tempo com as reclamações ou mesmo revisando os mínimos detalhes que permitiriam antecipar todos os problemas, caçando obstáculos e culpados.

O pensamento positivo, gera ações positivas, atrai pessoas e talentos, cria uma energia boa que gera o movimento individual e coletivo e traz condições para que as coisas aconteçam, como resultado, sim, de trabalho e merecimento.

Não creio que ser realista seja contrário a ser otimista e positivo. Entender o contexto e o ambiente em que se está inserido é fundamental para um bom planejamento e uma boa execução, mas este esforço deve ser justificado ou até motivado pelo fato de se acreditar que, independente do cenário, mais favorável ou desafiador, ou até mesmo “impossível”, vamos chegar lá, onde desejamos.

Só o otimismo, o pensamento positivo e a crença de que é possível e vai dar certo, também não é suficiente. O planejamento e a execução (seguindo o ALFREDO), é o que vai gerar o resultado final.

Muitas pessoas se deixam influenciar, e por incrível que pareça, não falta gente para dizer tudo que pode dar errado, para criticar ou para invejar, portanto é importante prestar atenção no seu Capital Social, para buscar uma rede de relacionamentos e contatos, ou sócios ou colaboradores, que também sejam otimistas, que tragam uma diversidade de pensamentos e visões, mas que sejam positivos, incentivadores, e também acreditem.

E quem são eles? Onde estão?

Curiosamente, são os realizadores, os que fazem acontecer, os que tomam pancadas e seguem, que caem e se levantam e que chegam lá, atingem seus objetivos e são bem sucedidos.

Vale o ditado: diga-me com quem andas e te direi quem és! Por que o meio e as companhias influenciam sim, o nosso momento.

Você conhece alguém que é pessimista e só vê problemas e segue reclamando e ao mesmo tempo está feliz e é um realizador?

Também podemos dizer que a fé representa esta ideia de acreditar e que a alegria e o bom humor costumam acompanhar os otimistas e positivos, tornando ainda mais viável um resultado “bacana” e uma jornada equilibrada, com aprendizados e realizações.

Acreditar também faz com que você possa assumir o controle do seu próprio destino, tomar as decisões necessárias, buscar e conseguir apoio e no final conduzir o “veículo da sua vida” rumo ao seus sonhos, mesmo que a estrada esteja com muitos buracos, com vários redutores de velocidade, ou até algum congestionamento. No final a escolha é sua, não vale culpar os outros (porque isto não te leva a lugar algum – não avança), não seja uma vítima.

Então, vale prestar atenção no seu comportamento e na sua atitude diariamente, para se tornar um otimista, um positivo, alguém que acredita, que vê o copo meio cheio, a oportunidade no problema, e se isto não estiver acontecendo, que tal repensar seus projetos para encontrar / buscar propósitos e possibilidades onde o seu sentimento seja bom?

Você acredita? Então vamos lá!


Elber Mazaro - Espaço do ExecutivoElber Mazaro é assessor/consultor, mentor e professor em Estratégia, Tecnologia, Marketing, Carreiras/Liderança e Inovação/Empreendedorismo. Atua há mais de 25 anos no mercado, liderando negócios no Brasil e na América Latina. Possui mestrado em Empreendedorismo pela FEA-USP, pós-graduação em Mar