O crescente mercado brasileiro de startups tem, naturalmente, despertado grande interesse dos fundos de capital de risco. Mas Flavio Zaclis, sócio-fundador da Barn Investimentos, empresa com atuação nos estágios de investimento semente e Série A, acredita que quem faz Venture Capital no país não deve perder de vista as peculiaridades da realidade nacional. Empreendedor e investidor com mais de 15 anos de experiência, Zaclis comenta alguns desafios de empreender e investir no Brasil.

“Nosso país oferece uma série de obstáculos para as empresas, especialmente aquelas em estágio inicial: poucas alternativas de financiamento, altíssima tributação em todo o processo da cadeia e extrema burocracia para aprovar contratos, contratações e atrair investidores, além de instabilidade econômica e política. São características que já fazem parte do dia a dia das startups, e que os empreendedores precisam ficar atentos na hora de investir, até para saber quais as possíveis dificuldades e os desafios que essas empresas poderão enfrentar ao longo de sua jornada”, explica o sócio-fundador da Barn Investimentos.

E apesar das dificuldades, ou justamente por causa delas, o empreendedor brasileiro demonstra criatividade e resiliência, características marcantes no perfil dos criadores de startups no país. No entanto, às vezes o perfil do empreendedor revela uma certa inversão de prioridades, querendo que sua empresa se torne um unicórnio (startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão), antes de se preocupar em criar um bom produto, escalar o negócio, estabelecer um eficiente pré e pós venda ao cliente e oferecer real concorrência aos players já consolidados.

“Os investidores também precisam ficar atentos ao “hype” da nossa indústria, não se deixar levar por isso, e de fato avaliar cuidadosamente onde fazer os aportes. Assim, podem encontrar negócios realmente inovadores, capazes de fazer diferença em determinado mercado, mesmo que não se tornem unicórnios”, comenta.

Porém, não é apenas de desafios que o mercado brasileiro de startups é composto. O empreendedor brasileiro tem características positivas que chamam a atenção do investidor. “Criatividade e resiliência são características importantes em um empreendedor. Porém, nada é mais valioso do que a experiência, principalmente em um país que ainda está construindo seu ecossistema de startups. A prática traz conhecimento de mercado, de tecnologia, de pessoas, entre outros, sem os quais o empreendedorismo não pode ser levado a sério”, afirma Zaclis.

E para os empreendedores que tem medo de errar, Flavio é categórico: O fracasso, caso ele ocorra, é um grande professor: a história está cheia de exemplos de empresários e expoentes de outras áreas que tiveram no fracasso o impulso que faltava em suas vidas. “Sendo assim, os fundos de capital de risco não devem jamais descartar uma oportunidade de negócio por causa de uma experiência prévia malsucedida de seu idealizador. Ele não vai repetir certos erros e, provavelmente, conhece o caminho mais curto para o sucesso”, finaliza.