Nos últimos anos, o número de mulheres que começaram a empreender cresceu muito, tanto no Brasil como em outros países. Embora ainda falte muito a ser conquistado, as mulheres estão cada vez mais ganhando espaço no mercado mostrando seu potencial em diversas áreas.

Segundo uma pesquisa realizada pela MindMiners – empresa referência  em pesquisas digitais – em parceria com a PayPal, empresa de pagamento online, 51,5% dos empreendedores brasileiros são, na verdade, empreendedoras e a principal motivação para empreender é complementar a renda, 21% das mulheres entrevistadas apontaram isso como incentivo central e 14% enxergam o empreendedorismo como uma oportunidade de ganhar mais dinheiro. Outra razão é a independência, apontada como motivação por 11% das respondentes.

No cenário das startups, segundo dados da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), cerca de 12,73% das startups são comandadas por mulheres. Hoje, a Associação possui mais de 5 mil startups associadas e mais de 62 mil empreendedores de todos os estados do Brasil.

Pedidos de crédito feitos por empreendedoras aumentam

A BizCapital, fintech de crédito para micro e pequenas empresas, fez um levantamento que mostra que 40% dos pedidos de empréstimos no último trimestre foram feitos por empresas que apresentavam pelo menos um dos sócios do sexo feminino.

Além disso, as aprovações de crédito feitas por negócios comandados por mulheres são duas vezes mais rápidas. Ainda segundo a pesquisa, comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios, restaurantes, lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares são os segmentos em que essas empreendedoras mais atuam.

Outra empresa que tem notado o aumento dos pedidos por mulheres foi a Mutual, plataforma de empréstimos entre pessoas. De acordo com a fintech, 55% das solicitações de crédito são feitas por empresárias.

Conheça os setores em que as mulheres estão empreendendo e levando inovações!

Mulheres no campo

Segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), uma em cada três propriedades rurais do país tem mulheres ocupando funções de comando. Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, empresa focada na agricultura digital no campo, vem se destacando no setor de agronegócios. Hoje, a empresária, com apenas 26 anos, coleciona diversos prêmios e homenagens, incluindo uma bolsa em Universidade da NASA e convites para participar de eventos do setor, abrindo portas para a internacionalização da empresa, que já possui atuação no México, Peru, Chile, Argentina e Colômbia.

Inovação feminina no mercado de e-commerce

O setor de e-commerce é dominado predominantemente por homens. Essa foi uma das principais dificuldades enfrentadas pela Tatiana Pezoa, CEO da Trustvox, plataforma de certificadora de reviews, ao iniciar o seu negócio. Diante desse cenário, uma das soluções encontradas pela empreendedora foi mostrar para os profissionais da área que ela possuía conhecimento e propriedade sobre aquilo que estava sendo dito. A Trustvox assegura a veracidade de reviews no Brasil, atuando com o propósito de tornar a sinceridade padrão de mercado no e-commerce e, por consequência, gerar cada vez mais vendas aos comerciantes.

Atuação no ecossistema de educação infantil

Por perceber a falta de entretenimento saudável online e opções de leitura digital para suas filhas gêmeas, em 2014 Fabiany Lima criou o aplicativo Timokids, startup na qual ela ocupa o cargo de CEO. O Timokids é uma ferramenta psicossocial online que contém historinhas e atividades com mensagens sobre bullying, preconceitos e assédios utilizada em 197 países. É uma forma de introduzir esses temas difíceis na vida dos pequenos de forma didática e com a linguagem apropriada seja em casa ou na sala de aula, por meio do Timokids School.

Empreendedorismo feminino do segmento de economia criativa

Após passar uma temporada na Argentina em 2012, Nara Iachan, CMO da Cuponeria, percebeu que o modelo de cupons de desconto era muito utilizado lá fora e que, no Brasil, o segmento era pouco explorado, criando assim a Cuponeria. Atualmente,  a  plataforma reúne cupons de ofertas de diversos estabelecimentos comerciais espalhados pelo país e permite que usuários tenham acesso a campanhas promocionais online, colaborando para o consumo consciente.

Mulheres no turismo

Após passar um período trabalhando e estudando na Índia, Mariana Malveira recebeu a visita de seu irmão, Breno Malveira, que viajava pelo mundo em busca de novas experiências e decidiram conhecer outros lugares juntos. Durante esse passeio, Mariana percebeu que a maioria das viagens foram feitas de ônibus rodoviários e gostou da ideia e da facilidade que o meio de transporte oferecia. Naquela época, era quase impossível um estrangeiro ter a mesma comodidade e acesso fácil a compras de passagens rodoviárias no Brasil. Um ano depois, os irmãos voltaram a São Paulo e lançaram a plataforma Brasil by Bus, com opções de pagamento para brasileiros e estrangeiros com versões em outros idiomas. Recentemente, Mariana e Breno lançaram uma nova plataforma de venda de passagens rodoviárias, a DeÔnibus, porém, totalmente focada na experiência do viajante brasileiro.