Uma iniciativa inédita na América Latina vai apresentar tecnologias inovadoras para o mercado e promover atividades que ajudem a fomentar o varejo nacional. Essa é a proposta do ProVa – Laboratório de Inovação do Varejo, inaugurado essa semana no Shopping Frei Caneca, na região central de São Paulo (SP). O projeto é liderado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em parceria com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e estruturado e gerenciado pela consultoria Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, especializada em inovação.

O presidente da ABDI, Guto Ferreira, explica que o principal objetivo da iniciativa é apresentar soluções para os problemas dos lojistas. “Quem vier conhecer o projeto será apresentado ao que de mais inovador está sendo feito no mundo, direcionado ao setor varejista. Também teremos uma loja conceito, onde o varejista poderá vender seus produtos no shopping por um período determinado”.

Na avaliação do ministro Marcos Jorge, esta é uma iniciativa de vanguarda que vai linkar os setores varejista e de indústria. “Pretendemos aumentar a integração entre os setores. No ProVa, as empresas poderão realizar testes, validações e desenvolvimento de novas soluções e tecnologias. O nosso objetivo é incentivar o aumento da competitividade do varejo brasileiro, além da criação de novos modelos de negócio, o desenvolvimento de produtos e serviços, a melhoria do atendimento e a interação com outros segmentos como a indústria”, explica.

Competitividade

O nome ProVa nasceu da expressão “pró-varejo”. A ideia da criação de um espaço físico para a elaboração de atividades, focadas no desenvolvimento do setor varejista veio da necessidade de aumento da produtividade e da competitividade do setor. O espaço vai funcionar no Shopping Frei Caneca, em São Paulo, para atender e capacitar varejistas de médio porte de todo o Brasil, preparando-os para competir e recuperar um setor que impacta em 47,4% do PIB brasileiro, segundo estudo da SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo).

Ao longo de 24 meses, serão desenvolvidas ações voltadas para os lojistas de todas as regiões brasileiras. O ambiente conta com áreas de coworking, ilhas de tecnologia e espaço para eventos. Mais de cem atividades estão previstas para serem realizadas, tais como meetups, ciclos de design thinking, feiras e workshops. A expectativa é receber, durante o período, 10 mil tomadores de decisão do varejo. Para participar do projeto, o varejista pode dirigir-se diretamente ao local ou entrar em contato com a ABDI ou MDIC. As próprias associações varejistas podem trazer demandas específicas para determinados setores.

Dados do setor

O setor varejista é um dos mais importantes para a economia nacional. De olho nessa importância estratégica, o ProVa pretende capacitar e auxiliar na recuperação de um setor que sofreu com os abalos econômicos do último período. Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que o comércio é responsável por cerca de 17 milhões de empregos. Isso representa 16% da força de trabalho do país.

Nos primeiros meses de 2018, o comércio brasileiro cresceu 4,5%, em relação ao mesmo período do ano anterior. O resultado foi influenciado pelas vendas de móveis e eletrodomésticos, que subiram por conta da queda das taxas de juros. Uma retomada, ainda tímida, frente as quedas superiores a 10% registradas em 2016.

Um levantamento feito pela ABDI, com mais de 50 varejistas e formadores de opinião, identificou os principais desafios do setor para inovar em lojas físicas. Qualificação da mão de obra, capacitação dos empresários, resistências culturais para a adoção de tecnologias, acesso à crédito e questões envolvendo a tributação foram os cinco pontos identificados na pesquisa, e terão foco na atuação do ProVa.

Resultados esperados

  • Adesão e participação de empresas e associações do setor de varejo e de serviços que buscam soluções inovadoras com elevado conteúdo técnico e tecnológico para seus problemas;
  • Atração de startups e a diversificação de instrumentos de fomento para o desenvolvimento de novas soluções e produtos para o varejo;
  • Aumentar a participação dos fornecedores nacionais e estrangeiros no desenvolvimento de soluções e produtos para o segmento varejista;
  • Tornar o laboratório referência na criação de valor e disseminação de conteúdos estratégicos para a melhoria no atendimento e em vendas aos clientes do varejo brasileiro.