A Organização das Nações Unidas (ONU) reuniu a imprensa, governos e tomadores de decisão globais em Viena (Áustria), ontem (terça-feira, 22 de maio). Na ocasião, foi lançado o programa United Smart Cities que conta com uma plataforma pioneira para trabalharem juntos em uma meta: gerar e realizar projetos urbanos mais inteligentes e sustentáveis. Entre os convidados do meeting global, os empreendedores brasileiros Diogo Tolezano e Pedro Godoy.

Fundadores da Pluvi.On, ambos vão apresentar o negócio de impacto social que utiliza uma rede de estações meteorológicas proprietárias para gerar alertas antecipados e em tempo real para a população em relação a eventos climáticos extremos–como enchentes e deslizamentos. A startup está sendo acelerada na Estação Hack, em um programa desenvolvido pelo Facebook em parceria com a Artemisia, organização pioneira no Brasil no fomento e aceleração de negócios de impacto social.

O programa United Smart Cities é uma iniciativa global, estabelecida pela Comissão Econômica das Nações Unidas para a Europa (UNECE) em cooperação com a Organização para Relações Econômicas Internacionais (OiER) e outras entidades internacionais, cidades, indústria e setor financeiro. Os principais objetivos do programa incluem promover o desenvolvimento sustentável e projetos em cidades em nível global; apoiar cidades em transição e países em desenvolvimento a implementar soluções urbanas mais inteligentes e sustentáveis; estabelecer uma plataforma multiparticipativa; criar um centro de conteúdo para iniciativas de cidades inteligentes – identificando e desenvolvendo novo mecanismo de financiamento inteligente, especialmente para PPPs –; e garantir a transferência de conhecimento para identificar as melhores práticas e lições aprendidas entre as cidades.

“Esse programa funcionará como uma plataforma que une empresas e governos com foco em apoiar projetos de cidades inteligentes. A Pluvi.On foi uma das startups convidadas pela nossa abordagem de utilização de tecnologia para criar cidades mais resilientes, mais adaptáveis. O nosso foco – que é o monitoramento climático, especialmente para emitir alertas para a população em desastres naturais como enchentes e deslizamentos – foi o que chamou atenção da ONU. Por isso, surgiu esse convite que nos deixou imensamente honrados”, explica Mariana Marcílio, cofundadora da Pluvi.On.

Por um mundo mais inteligente

O objetivo do programa United Smart Cities é avaliar e desenvolver perfis de cidades, apoiar estratégias de planejamento urbano e estabelecer prioridades; desenvolver projetos em cooperação com especialistas urbanos e setor privado, identificar opções de financiamento e avaliar projetos e progresso de cidades. Além disso, o USC promove o desenvolvimento urbano sustentável – especialmente em países com economias em transição e em desenvolvimento, por meio da análise de práticas e políticas, atividades-piloto, troca de experiências e melhores práticas, rede e capacitação.

A abordagem da United Smart Cities é fornecer informações estruturadas sobre diferentes áreas de atividade no desenvolvimento urbano, incluindo especificamente fatores que são relevantes para o clima e a energia como alavancas para melhorar o desenvolvimento das cidades. Neste contexto, a inteligência das cidades reside no envolvimento de diferentes dimensões do desenvolvimento urbano e participação ativa nos processos de tomada de decisão sobre as mudanças desejadas – e concentram-se em estratégias e tecnologias particularmente sustentáveis, inteligentes e atraentes.

Para assegurar o desenvolvimento sustentável das áreas urbanas e das cidades inteligentes é de extrema importância estabelecer vínculos e parcerias entre os setores público e privado. O programa está trabalhando para desenvolver parcerias intersetoriais, bem como garantir o desenvolvimento de uma rede sustentável e lucrativa de longo prazo, além de uma plataforma de intercâmbio para cidades inteligentes globalmente.