* Por Sergio Roque

Alguns empreendimentos estão fadados a morrer e não porque eram ruins, mas seus gestores tinham alguns comportamentos que na maioria dos casos tendem a levar ao fracasso qualquer operação, qualquer negócio.

Como muitos gostam de listas, eu fiz uma com sete comportamentos que podem minar seu negócio, se você apresenta alguns pontos aqui listados, fique atento, trabalhe para corrigir. Dois ou mais destes comportamentos combinados é receita certa para enterrar um negócio e se você identificar que existe a possibilidade de ter mais alguns deles, olhe para sua empresa urgentemente e procure as “pás e os buracos já iniciados”, procure estancá-los ao mesmo tempo em que tenta corrigir esses comportamentos ruins com ações práticas e objetivas.

Vamos a eles:

  • ARROGANTE

Este eu considero o mais fatal dos comportamentos em um empreendedor. Ele acha que sabe tudo, trata mal seus colaboradores, fornecedores e parceiros. Quem se acha dono da verdade nunca a possui. Na maioria das vezes tem temperamento inconstante podendo ir do céu ao inferno em segundos.

  • EGOÍSTA

Faz a gestão do negócio como um garoto mimado e quando alguém lhe contraria é como se tirasse seu brinquedo. Dificilmente dá crédito ao sucesso, principalmente a colaborador, sem se incluir no pódio ou até mesmo, na maioria dos casos, se considerar o único responsável por todo objetivo alcançado. Extremamente orgulhoso, na maioria dos casos confunde persistência com teimosia.

  • DESONESTO

Este não tem como esconder. Faz várias promessas e não cumpre nenhuma sempre jogando a culpa em algo ou em alguém. Nunca assume seus erros, ou quando assume é somente uma pequena parcela para não ficar tão evidente.

  • MANIPULADOR

Geralmente se comunica bem e fala muito, pois sente necessidade de manipular as pessoas, mesmo quando tem o papel de líder delas. Como não sabe gerir é ardiloso, faz fofoca e cria grupos internos antagônicos. A desunião é a chave para o insucesso.

  • INDISCIPLINADO

É desorganizado nas áreas que não gosta e por isso, perde tempo e dinheiro constantemente. Perde também o foco várias vezes no dia (em casos piores não há foco algum). Atrasa-se constantemente. Procrastina quase tudo que não gosta.

  • PESSIMISTA

Alguém sempre muito otimista pode ser ruim, mas quando a tendência é ser pessimista é bem pior para o empreendedorismo. O medo não permite assumir riscos e os planos são desenhados enxergando somente o pior cenário de todos. A insegurança transparece a cada decisão a ser tomada a frente de seus colaboradores.

  • PERFECCIONISTA

Nada está bom suficiente e assim nada vai para frente. Nada é dado como acabado, pois sempre falta algo. Nenhum colaborador lhe parece ser bom. Pequenos objetivos se tornam enormes e pequenas tarefas tomam muito tempo e recursos.

Procurar a excelência em seu negócio é importante e todos nós concordamos que ela é percebida nos pequenos detalhes, portanto faça uma boa reflexão de suas ações e relações fazendo um balanço bem acurado dos benefícios e dos prejuízos que elas lhe causam.

Tenha em mente que feito é melhor que perfeito.

Todos estes comportamentos são bombas-relógio e um dia explodem. O pior é que todas as pessoas que conheci não se reconhecem assim ou não acham o resultado destes comportamentos de vital importância. Elas não enxergam o quanto afetam as competências fundamentais para que o negócio decole ou pelo menos não afunde.

Por isso, processos contínuos de autoconhecimento são essenciais e as chaves do sucesso de qualquer empreendedor.

Se você acredita que possui qualquer um deles contrate um coaching, faça terapia, faça meditação e tente corrigir a tempo, ou do contrário, cuidado, o próximo passo pode ser direto para o precipício.


Sergio Eduardo Roque é coach executivo e de vida com foco em processos de
autoconhecimento na SerOQue Desenvolvendo Pessoas. Com formação em
engenharia (FAAP) e marketing (ESPM) atua há mais de 25 anos no mercado como
executivo e empreendedor.